Oggi, Premio e Siena já foram nomes fortes neste segmento

Exatamente no dia 20 de fevereiro, a Fiat apresentará oficialmente o Cronos, produto final do projeto X6S, popularmente conhecido como "o sedã do Argo". Antes disso, vamos recapitular a história da marca de Betim (MG) no segmento de sedãs compactos, que começou em 1983.

Fiat Oggi
Fiat Oggi

Fiat Oggi

Em 1976, a Fiat chegava ao Brasil com o 147. Anos mais tarde, em 1983, a marca lançava seu primeiro sedã, o Oggi, que usava a mesma plataforma do Panorama (perua do 147) e aproveitava a dianteira da derivação mais luxuosa do hatch, o Spazio. O porta-malas de 440 litros era o principal destaque, com maior volume que o VW Voyage, seu principal concorrente. 

O motor era 1.3 carburado movido a etanol, com 56 cv e 9,9 kgfm de torque, ligado ao câmbio manual de 5 marchas. Mesmo não tendo injeção eletrônica, já possuía sistema de corte de combustível quando o motorista tirava o pé do acelerador para economia. Uma versão esportiva, a CSS, foi lançada para homologação na competição de Marcas e Pilotos em 1984, com motor 1.4 de 78 cv, ajustes na suspensão e câmbio com relações mais curtas. Foram feitas apenas 300 unidades, todas pretas. 

Em 1985, o Oggi saía de linha com 20.083 unidades vendidas durante sua vida.  

Fiat Prêmio

Fiat Prêmio

O Oggi saiu de linha para a chegada do Prêmio, o sedã derivado do Uno - lançado em 1984 - em 1985. Mais uma vez, seu destaque ficou para o porta-malas de 428 litros, além do bom espaço interno. Tinha duas opções de motor naquele momento: 1.3 Fiasa carburado com 59,7 cv e 10 kgfm de torque, com câmbio de 4 marchas (5 opcional), e 1.5 Sevel de 82 cv e 12,8 kgfm de torque, esse sempre com 5 marchas. As versões eram S, CS e, em 1987, CSL, com 4 portas.

Fiat Prêmio

Em 1991, o Prêmio ganhava nova frente, com faróis menores como no Uno, e o motor Fiasa virava 1.5, com com 67,2 cv e 12 kgfm de torque. Em 1993, todos os Prêmio ganham injeção eletrônica e carroceria sempre de 4 portas. Em 1994, a produção no Brasil é finalizada, com um total de 156.262 unidades, além das unidades vendidas e produzidas na Argentina até 2000, local de onde chegou a ser exportado para o Brasil em 1995 com motor Sevel 1.6 e o nome Duna. 

Fiat Siena

Fiat Siena

Como o Cronos, o Siena começou a sua vida em Córdoba, na Argentina. A produção em 1997 e 1998 foi no país vizinho, com motores 1.6 de 8 válvulas (82 cv) ou 16V (106 cv), em versões EL e HL. Em 1998, era apresentado o Siena 1.0 de 61 cv com câmbio manual de 6 marchas, algo inédito na época. O motor 1.6 8 válvulas ganha injeção multiponto e passa a 92 cv. Em 2000, recebe o motor 1.3 Fire com o então moderno acelerador eletrônico. 

Fiat Siena

Em 2001, o Siena acompanhava o Palio e recebia o primeiro facelift, com mudanças na dianteira, traseira e interior. Os motores são atualizados, com o 1.0 8V Fire de 55 cv, 1.0 16V de 70 cv, 1.3 16V de 80 cv e 1.5 8V a etanol de 77 cv e o 1.6 16V de 106 cv. Em 2003, o 1.6 16v foi substituído pelo 1.8 fornecido pela General Motors, com 103 cv. 

Fiat Siena

No ano seguinte, 2004, uma segunda reestilização foi feita no Siena. Ainda mantendo a mesma base, uma nova dianteira, traseira e interior atualizam o sedã. Em 2005, o motor 1.4 de 80 cv substitui o 1.3. Em 2006, é lançado o Siena Tetra Fuel, que rodava com etanol, gasolina, GNV e nafta, a gasolina pura da Argentina. 

Fiat Siena

Para 2008, a terceira reestilização do Siena ganhava uma dianteira exclusiva, já em busca de uma diferenciação entre ele e o Palio - algo que não durou até a linha 2009. O motor 1.0 foi para 73/75 cv e o 1.4 para 85/86 cv. Em 2009, era lançado o Siena EL de entrada, com visual anterior, mais barato. Em 2010, as nomenclaturas mudam para Attractive e Essence, esta última recebendo o motor 1.6 16v Etorq no lugar do 1.8 GM, agora com opção de câmbio automatizado Dualogic. Uma versão Sporting, limitada, era lançada também com este motor. 

A partir de 2011, o Siena se manteve em linha apenas na versão EL (1.0 e 1.4), algo que durou até outubro de 2016.

Fiat Grand Siena

Grand Siena

Em 2012, o Palio é lançado em nova geração, com nova plataforma. Para acompanhar, o Grand Siena se diferencia do Siena pelo entre-eixos maior (2.511 mm) e porta-malas de 520 litros. Como já acontecia no Siena, as versões são a Attractive e Essence, com motores 1.4 Fire e 1.6 E-torQ, com opção de câmbio Dualogic. 

Em 2016, a versão Attractive 1.0 é lançada para substituir o Siena EL. Com a chegada do Cronos, deverá ser a única opção a sobreviver, uma vez que o derivado do Argo começa sua linha a partir do modelo 1.3. 

Fotos: divulgação

 

Galeria: Sedãs compactos da Fiat - História