Problemas de produção e perdas financeiras podem significar o fim da marca

Apesar de toda a expectativa de sucesso gerada a partir do otimismo do CEO Elon Musk, nem todos acreditam em um futuro promissor para a fabricante de elétricos Tesla. Em entrevista concedida nesta semana, um dos principais nomes do mercado financeiro dos Estados Unidos disse não estar convencido da sobrevivência da marca diante de tantos problemas. "A Tesla está caminhando para colidir contra uma parede de tijolos", disse Jim Chanos, considerado um dos principais gurus de investimento do mercado de ações da América do Norte.

Leia também:

Tesla Roadster avec Elon Musk

Segundo Chanos, a posição privilegiada da Tesla no mercado está sumindo na mesma velocidade em que outras montadoras investem pesado no desenvolvimento de elétricos - vide Volkswagen e General Motors. "O que Elon fez foi simples - ele fez os EVs", disse. "Antes disso, você tinha que se comprometer e obter algo como um Prius. Mas agora ele tem de enfrentar todo o mundo do automóvel, que descobriu isso e está chegando com força. Ele está lutando contra uma luta diferente", completou.

Tesla Model S P100D

As declarações coincidem, não por acaso, com o momento delicado pelo qual passa a companhia. Entre julho e setembro de 2017, por exemplo, foram contabilizadas perdas financeiras da ordem de US$ 685 milhões, sem contar o balanço dos últimos meses que ainda não foi fechado. Além disso, a marca foi obrigada a demitir cerca de 700 funcionários e enfrenta agora uma série de ações trabalhistas na justiça. Some a isso problemas graves de produção envolvendo o sedã Model 3 e dificuldades sérias quanto ao controle de qualidade nas linhas de montagem.

Fotos: Divulgação e Arquivo Motor1.com

Galeria: Tesla Model X 90D