Novo chefão deverá ser anunciado em fevereiro, junto com a divulgação do balanço de 2017

Depois de décadas de atuação na Renault e, posteriormente, na aliança Renault-Nissan, o executivo brasileiro Carlos Ghosn não deve demorar mais do que poucos meses para finalmente se aposentar. Conforme relata a imprensa da Europa, o contrato do chefão será encerrado em maio de 2018 e a discussão sobre a escolha de um novo nome já foi iniciada internamente. Diversos candidatos estão sendo especulados nesse momento, mas o anúncio oficial será dado apenas em fevereiro - junto com a divulgação do balanço final de 2017.

Leia também:

Consultada pela imprensa francesa, um fonte ligada à cúpula da empresa não quis entrar em detalhes sobre os nomes, mas confirmou que o candidatado escolhido não deverá ser nada menos que "excepcional". Entre os postulantes mencionados até agora, destaque para Thierry Bollore (responsável pela área de competitividade da Renault), Stefan Mueller (diretor de desempenho) e Thierry Koskas (chefe de marketing e vendas). Há ainda a possibilidade de a escolha recair sobre algum ex-executivo de renome, mas todos os especulados já têm postos bem estabelecidos em outras companhias.

Carlos Ghosn Renault Nissan

Certeza mesmo, apenas sobre a missão a ser desempenhada pela frente. Entre outras ações, o nome escolhido terá de gerir a integração e promover sinergias entre todas as marcas do grupo, especialmente depois da chegada da Mitsubishi. Além do mais, a responsabilidade será grande, já que o conglomerado fechará 2017 como o maior do mundo no setor, com 10 milhões de unidades vendidas e à frente da Volkswagen e da Toyota.

Fonte: Automotive News
Fotos: Divulgação