Contran vai criar regras para impacto lateral, proteção para pedestre e até uso de carros elétricos

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) resolveu tirar o atraso e divulgou a lista de itens de segurança que serão regulamentados nos próximos quatro anos. O departamento vai determinar as regras para uso destes itens e, no futuro, os tornará obrigatórios em todos os veículos vendidos no Brasil. Vão de coisas simples, como atualizar as normas para buzinas, até equipamentos como câmera de ré e frenagem automática de emergência. E, a melhor parte, novas regras para a proteção para pedestre e para ocupantes em impacto frontal, traseiro e lateral.

A resolução 717 fala de 38 novas regulamentações para veículos leves, pesados, pesados com reboque e semirreboque. O texto não dá detalhes sobre cada item, fornecendo somente o nome do item a ser discutido, para qual veículo e o prazo para estudo e regulamentação. Após criada a norma, ela será publicada em uma resolução e passará a contar 30 dias após a publicação. Porém, isso não significa que vai virar lei. Após a regulamentação, o Contran ainda terá que determinar um prazo para que as fabricantes se adaptem e só então será obrigatório. Confira os itens que falam de veículos leves, por prazo:

Indicação de frenagem de emergência – 6 meses

Equipamento que faz o carro acionar automaticamente o pisca-alerta em caso de uma frenagem forte, para indicar ao veículo que vem atrás que há algo de errado. Também é chamado de ESS. Muitos carros nacionais já contam com este item.

Fiat Punto e Linea 2016 ganham central multimídia e câmera de ré - veja preços

Sistema de alerta ou visibilidade traseira – 6 meses

Alerta é o famoso sensor de estacionamento, já que ele emite apenas um aviso sonoro. Visibilidade é a sua evolução, a câmera de ré.

Atualização das regras para localização e identificação dos controles – 6 meses

Como diz o nome, são as regras para os botões do carro, determinando que tipo de desenho deve ter e em que posição precisam ficar.

Atualização das regras para buzinas – 6 meses

Indica que o Contran irá mexer nas buzinas, o que pode ser no volume ou posição do botão de acionamento.

Atualização das regras para espelho retrovisor – 6 meses

O nome é vago, então a aposta mais segura é que tenha a ver com os retrovisores eletrocrômicos, que evitam o ofuscamento. Pode ser uma atualização no tamanho do espelho.

Atualização das regras para fechadura e dobradiça – 6 meses

Atualizar esta norma pode trazer uma mudança no padrão para evitar sua abertura em caso de impactos (como acontece nos carros que zeraram no Latin NCAP porque a porta abriu no crash-test lateral).

Latin NCAP testa Fiat Mobi, Kia Rio Sedan e Chevrolet N300

Inclusão de impacto frontal e traseiro nas regras de proteção ao ocupante – 6 meses

Já comentamos que o Rota 2030 poderia incluir selo de segurança para os veículos. Se isso for mesmo acontecer, o Contran precisa determinar como será o teste que determinará este selo. Por isso, preparam as regras para o impacto dianteiro e traseiro. Além da possibilidade de forçar as fabricantes a reforçar a estrutura dos veículos, pode levar à obrigatoriedade do ISOFIX para fixar cadeirinhas infantis.

Aviso de afivelamento dos cintos de segurança  – 6 meses

Como o próprio nome diz, estabelece a regra de aviso sonoro ou visual para lembrar o passageiro de colocar o cinto de segurança.

Proteção para pedestre – 6 meses

Mais um item com nome vago. Pode dar origem à norma que determina as partes deformáveis do carro, para reduzir o dano causado a um pedestre em caso de atropelamento. Além disso, pode também falar sobre sistemas de detecção de pedestres por câmera e/ou sensores.

Impacto lateral e de poste – 6 meses

O terror dos carros de entrada nacionais, o impacto lateral e o de poste entram na discussão. Os dois caminhos mais prováveis são: exigir barra lateral de proteção; ou incluir o teste lateral no selo de segurança do Rota 2030.

2017 Chevy Bolt EV - Canadian review

Regulamentação para veículos elétricos – 6 meses

O presidente da GM América do Sul e Brasil, Carlos Zarlenga, disse recentemente que vai vender por aqui um carro elétrico da Chevrolet em 2018. É o prazo exato para que o Contran determine o padrão para os veículos EV. Além do carro da GM, a Nissan também já confirmou a vinda do Leaf, mas este só para 2019.

Alerta de faixa – 18 meses

Sistema encontrado em carros mais caros que utiliza câmeras para perceber se o motorista está saindo da faixa de forma involuntária (por distração ou sono ao volante). Emite alerta sonoro, treme ou volante ou, em carros mais sofisticados, puxa o volante de volta para dentro da pista. 

Frenagem automática de emergência – 18 meses

É o passo seguinte ao ESS. Ao invés de só avisar os outros veículos em caso de frenagem de emergência, o carro possuirá um sistema que avisa o motorista para frear e, caso ele não atue, irá parar o automóvel automaticamente.

Acessibilidade – 24 meses

O Contran diz apenas que este item fala sobre a homologação, o que indica que as fabricantes terão que seguir regras específicas de acessibilidade para os veículos PCD.

Gravador de dados de acidentes – 36 meses

Também chamado de “caixa preta”, o gravador salva informações como a que velocidade o carro estava no caso de acidente, ajudando nas investigações.

Veículos autônomos – 48 meses

Já temos alguns carros com sistemas semi-autônomos, como Audi A5, BMW Série 5, Mercedes-Benz Classe E e Volvo XC90. O Contran irá determinar o que vale ou não para estes veículos.

 Fotos: divulgação

Galeria: Crash Test - Ford Ka/Ka+