Modelo passa a se chamar "Grand Captur" por lá

Até então importado diretamente da fábrica de Valladolid, na Espanha, o Renault Captur comercializado no Uruguai agora passa a sair de um novo destino. Em anúncio realizado nesta semana pela gigante francesa, foi confirmada a troca da versão europeia pelo modelo brasileiro fabricado em São José dos Pinhais, no Paraná. Visualmente, as mudanças entre os dois modelos são bastante sutis, com mudanças apenas no desenho internos dos faróis e dos para-choques. Estruturalmente, porém, são carros considerados bastante distintos e sustentados por diferentes plataformas - um usa a base do Clio IV, enquanto o outro adota toda a arquitetura emprestada do Duster.

Leia também:

Renault Captur Intense Teste Motor1 BR

Para separar os modelos e não causar confusão diante dos consumidores, a Renault optou por chamar o modelo brasileiro de Grand Captur - até mesmo pelo fato de ele ser consideravelmente maior que o europeu. Sob o capô, a única opção de motor disponível é o conhecido propulsor 2.0 16V de 143 cv, que pode vir ligado a um câmbio manual de 6 marchas ou automático de apenas 4. Todas as versões oferecem de série itens como 4 airbags, frios ABS com EBD, assistente de arranque, controles de estabilidade e tração, luzes diurnas de LED, rodas de 17 polegadas, sistemas de navegação com tela de 7", acesso sem chave e volante revestido em couro, entre outros.

Renault Captur Intense Teste Motor1 BR

Os preços começam em US$ 27.990 para o modelo Zen manual e chegam a US$ 31.990 para a versão Intense automática - respectivamente, R$ 91.100 e R$ 104.150 numa conversão direta.

Fotos: Arquivo Motor1.com

Galeria: Renault Captur Intense Teste Motor1 BR