Chamado envolve unidades fabricadas entre outubro de 2014 e setembro de 2017

A Nissan será protagonista do segundo maior recall de uma montadora japonesa, ficando atrás apenas da MitsubishiNo Japão, a marca convocará 1,2 milhão de veículos de passageiros por um problema na inspeção final de qualidade. Segundo a Nissan, de outubro de 2014 a setembro de 2017, este importante processo não foi feito por pessoal autorizado. 

Leia também:

As unidades envolvidas farão o processo de inspeção novamente, o que inclui aspectos como ângulo de esterço e capacidade de aceleração e frenagem. "Nos desculpamos com nossos consumidores pelo transtorno causado", disse o CEO Hiroto Saikawa em coletiva de imprensa. 

O recall custará aos cofres da Nissan 25 bilhões de yens, o equivalente a US$ 222 milhões. Isso exclui os carros fabricados pela Mitsubishi para a Nissan no Japão, os "kei cars". Não foi informado sobre os carros exportados do Japão para outros países, já que a marca diz que não há diferenças entre os processos de produção entre as unidades do mercado local e para exportação. No Brasil, não há nenhuma unidade importada oficialmente vinda do Japão.

O mercado de carros de passageiros no Japão responde por 10% das vendas mundiais da Nissan. 

Foto: divulgação