Braço da Renault na Romênia acha que linha atual é suficiente e focam em reconhecimento na Europa

A divisão romena da Renault não pensa em desenvolver novos modelos. Segundo o chefe da Dacia, Jean-Christophe Kugler, não há qualquer pressão interna dentro da Aliança Renault-Nissan para que a marca expanda sua linha, atualmente composta por Duster, Logan (perua e sedã), Sandero e a minivan Lodgy.

Leia também:

Parece ser algo sem importância, só que a Dacia tem um papel importante para o Brasil. De todos os modelos que eles produzem atualmente, os únicos que não ganharam uma versão nacional com o nome da Renault é a perua do Logan e a minivan Lodgy. Poucos carros vendidos pela marca no nosso mercado tem origem diferente. Duster Oroch e Sandero R.S. 2.0 foram desenvolvidos aqui, o Kwid é projeto indiano, o Fluence foi criado na Coreia do Sul e chega aqui vindo da Argentina, e o Captur usa o design da versão europeia com mecânica do Duster.

Para Kugler, a prioridade da Dacia é tornar a fabricante mais conhecida nos 44 mercados onde participam. “Temos quebrado nossos recordes em vários anos, apesar de não sermos conhecidos o suficiente – Eu acho que isso nos mostra onde devemos focar. Nós temos mais oportunidades com a linha de veículos que já temos.”

Galeria: Renault Sandero reestilizado - Europa

Havia muita especulação sobre novos modelos da Dacia. Uma delas foi de adaptar o Kwid para o mercado europeu e parte da Ásia, ideia que foi descartada diversas vezes pelos executivos da fabricante. Outra que circulou por muito tempo foi a possibilidade de criar um Duster de sete lugares e que, como foi revelado na apresentação da segunda geração do crossover, nunca foi cogitado.

Por aqui, a Renault trabalha no lançamento do Koleos, SUV médio que estava no estande da marca no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro passado. Acabou atrasando e agora espera pelo fim do Inovar-Auto, com previsão de ser lançado em 2018. O novo regime automotivo abrirá as portas para os carros importados e a montadora pode aproveitar para trazer mais modelos franceses. Enquanto isso, para o ano que vem, teremos o facelift do Sandero e Logan, trocando o câmbio automatizado pelo CVT.

Fotos: Divulgação e Motor1.com

Galeria: Dacia Duster 2018 - Salão de Frankfurt