Radares irão monitorar tempo e velocidade média em que um carro passa entre eles. Por enquanto, medida tem caráter educacional e não renderá multa

O velho truque de frear antes dos radares está com os dias contados. A prefeitura de São Paulo confirmou que começará a enviar notificações por escrito para os motoristas baseadas na velocidade média em que os infratores rodaram entre dois radares. O sistema funcionará inicialmente nas Avenidas 23 de Maio e dos Bandeirantes, e na pista expressa da Marginal do Tietê, no sentido Castelo Branco e estará em operação a partir de 1º de novembro.

Funciona assim: os radares registram todos os veículos que passam por ele e iniciam uma contagem no sistema, que já sabem quanto tempo é necessário para chegar até o radar seguinte na velocidade máxima da via. Se o carro passar pela câmera seguinte num tempo menor do que o correto, a CET poderia aplicar uma multa, pois sabe que ele acelerou depois do radar e passou da velocidade máxima.

Leia também:

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já testava a chamada “fiscalização por velocidade média” há pelo menos cinco anos. Um dos testes, feito em 2015, mostrou que o número de pessoas passíveis a receber essa multa é sete vezes maior do que as que são autuadas hoje em dia.

Por enquanto, essa medida terá caráter educacional, para conscientizar a população. Embora a prefeitura queira aplicar as multas, esse tipo de fiscalização ainda está em debate pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e ainda levará um tempo para que vire regra.

Foto: Divulgação