A questão é se a FCA admitirá vender isoladamente a marca mais valiosa de seu portfólio

Debatidos desde a semana passada, os rumores que apontam para o interesse dos chineses nas marcas do grupo FCA ganharam força nesta segunda-feira (21) após declarações da montadora chinesa Great Wall. Em entrevista concedida à agência de notícias Automotive News, a presidente da empresa, Wang Fengying, confirmou que representantes de ambos os grupos já iniciaram discussões, e que o interesse maior é em adquirir a Jeep - justamente a jóia da coroa do grupo ítalo-americano. Analistas de marcado apontam que a Jeep, sozinha, vale mais que todas as outras marcas do grupo reunidas (Fiat, Chrysler, Dodge, Ram, Alfa Romeo e Maserati, entre outras).

Leia também:

2016 Jeep Renegade

 

Uma das mulheres mais ricas e poderosas da Ásia, Fengying relata também que a conexão estabelecida entre as companhias é forte e que o interesse em expandir os negócios não vem de hoje. "Estamos profundamente interessados na marca Jeep e prestamos muita atenção há bastante tempo", confirmou Xu Hui, porta-voz da Great Wall. "Nosso objetivo estratégico é chegar à posição de maior fabricante de SUVs do mundo. Adquirir a lendária Jeep, uma gigante mundial desse segmento, nos permitirá alcançar nosso objetivo mais cedo", completou.

 

Jeep Wrangler

 

Atualmente, a GW gera muito menos receita que a FCA, mas diz estar disposta a buscar financiamentos para adquirir a Jeep. "A Great Wall tem um forte histórico em fazer bons lucros. Podemos fazer uso de nossos lucros acumulados para fazer o negócio acontecer", detalhou Hui. A FCA, por sua vez, disse que não comenta o caso.

Fonte: Automotive News
Fotos: Divulgação

Galeria: Jeep Compass - primeiras impressões (EUA)