Mostra em Dunsfold, no Reino Unido, reunirá as maiores criações de Murray. Do McLaren F1 ao OX

Uma carreira vitoriosa merece uma celebração à altura. Ainda mais se você consegue levá-la a meio século. Foi o que aconteceu com a de Gordon Murray, projetista que deu a Ayrton Senna seus campeonatos de F1 e ao mundo o McLaren F1, considerado até hoje um dos carros mais fantásticos já fabricados. Mas a carreira de Murray continua ativa e de vento em popa, como devem mostrar todos os modelos que ele projetou e ainda projeta. E que serão todos reunidos em Dunsfold, no Reino Unido.

Leia também:

Murray está envolvido agora com o projeto do novo TVR Griffith, que usará inclusive o método de produção que ele desenvolveu, o iStream, três vezes mais barato do que um comum. Mas o projetista sul-africano tem outras empreitadas, como o caminhão OX. Ele será vendido em duas caixas, desmontado. Uma para a carroceria e outra para o motor e câmbio, um Ford turbodiesel 2.2 com transmissão manual de 5 marchas.

 

Gordon Murray

 

Diz a GVT (Global Vehicle Trust) que o OX (boi, em inglês) pode ser montado por 3 pessoas em 5,4 horas. Se elas não tiverem noção do que estão fazendo, podem levar umas 12 horas. A ideia é permitir que países em desenvolvimento tenham um meio de transporte confiável, barato e econômico. O OX será vendido na África, a princípio.

 

 

Outro modelo que estará na mostra é o T.25 e sua versão elétrica, o T.27, modelos que poderiam ter sido fabricado em série inclusive aqui no Brasil, na época em que Eike Batista ainda aparecia nas páginas de negócios dos jornais. Com três lugares, ele tinha uma disposição de bancos semelhante à usada no McLaren F1: um central e dois de cada lado do banco do motorista. A vantagem é que ele seria infinitamente mais barato e econômico, além de mais racional. Pena que nunca saiu do papel.

 

Gordon Murray

 

Mas a verdadeira estrela da exposição deve ser mesmo o McLaren F1. Ter um cofre de motor revestido de ouro nem é o que o torna realmente extraordinário, ainda que seja um dos fatores de espanto em relação ao hipercarro clássico de 1992. A posição central de dirigir, o motor V12 6.1 BMW naturalmente aspirado de 636 cv e a velocidade máxima acima dos 380 km/h o tornaram certamente mais conhecido.

A exposição abre em 3 de novembro e será aberta inicialmente apenas a convidados. No mesmo dia, Gordon Murray também promete apresentar um novo automóvel de sua autoria. O que será que o mago das pranchetas estará preparando?

Fotos: divulgação

Gordon Murray comemora 50 anos de carreira