Pelo menos até a chegada definitiva dos elétricos

Apesar de toda a polêmica que envolve o diesel e a manipulação de seu uso por parte de algumas montadoras (como o Dieselgate, do Grupo Volkswagen), um grupo automotivo em especial ainda acredita na viabilidade deste combustível a médio prazo. Em entrevista recente concedida à agência de notícias Automotive News, o CEO da Daimler, Dieter Zetsche, afirmou estar disposto a recuperar a reputação do setor e tornar o derivado do petróleo suficientemente limpo para uso comercial. "Vale a pena lutar pelo diesel", argumentou o executivo.

Leia também:

"Estamos convencidos, como o resto da indústria automobilística, de que o caminho para o futuro é a mobilidade elétrica. Mas, até que isso aconteça, as reduções adicionais de CO2 serão alcançadas através de motores a combustão, e nisso o diesel terá um papel importante", comentou Zetsche. Para o chefão, o combustível deve ser aprimorado para atender às regras anti-poluição e continuar sendo usado até que os veículos de propulsão elétrica se tornem realidade.

 

Novo Mercedes Classe A 2019 - teaser

 

O curioso é que a própria Daimler (controladora da Mercedes-Benz) também é acusada de manipular seus motores. Não por acaso, a companhia anunciou na semana passada a realização de um "recall voluntário" ao custo de US$ 256 milhões para atualização do software do sistema de escape de uma série de modelos. 

"A indústria automobilística está atualmente causando manchetes, e elas não são boas", disse Zetsche. "Eu sei que muitas pessoas querem mais clareza agora, mas não podemos comentar a especulação", concluiu. 

Fotos: divulgação

Novo Mercedes Classe A 2019 - teaser