O fantasma do Dieselgate ainda paira sobre o grupo Volkswagen

O escândalo do Dieselgate ainda nem foi completamente superado e a Volkswagen já se vê envolvida em uma nova suspeita de fraude envolvendo emissões. Conforme relata a agência de notícias Automotive News, as denúncias agora incidem sobre um esquema teoricamente montado pela Porsche com o intuito de mascarar os reais índices de poluição emitidos por seus carros. O curioso é que, desta vez, as suspeitas recaem sobre motores a gasolina - e não diesel, como no primeiro caso.

Leia também:

Investigações apontam que a marca teria feito o uso (em automóveis ainda não identificados) de um dispositivo capaz de ajudar o carro a detectar as reais condições de rodagem. Por meio dos movimentos do volante, o software era capaz de identificar o tipo do trajeto para, a partir de então, ativar o mecanismo de manipulação. Ou seja: se detectado o uso em ciclos de testes, o carro poluiria menos; em condições normais, emitiria mais gases.

 

Porsche Macan Turbo with Performance Package

 

Em nota, a Porsche negou todas as acusações e garantiu que todos os seus carros estão em conformidade com a legislação. "Podemos confirmar para todos os modelos da Porsche: não estamos usando os movimentos da direção com o objetivo de detectar um ciclo de teste e agir sobre isso", disse um porta-voz.

Fotos: divulgação