Chefão Marchionne admitiu possibilidade em conversa com jornalistas de Detroit

Em conversa com jornalistas do The Detroit Free Press nesta semana, Sergio Marchionne foi mais do que direto ao soltar um sonoro "sim" quando questionado sobre a possiblidade de dar independência às marcas Jeep e RAM. Conforme relata a publicação, o executivo admitiu que pensa em desmembrar as duas companhias do grupo FCA e dar a elas o mesmo caminho seguido recentemente pela Ferrari.

Leia também:

A ideia surgiu depois da importância que ambas ganharam dentro do conglomerado. A Jeep, por exemplo, saltou de 500 mil unidades vendidas anualmente em 2008 para consideráveis 1,4 milhão em 2016 - e deve chegar a 2 milhões em 2018. O mesmo vale para a RAM, que ampliou participação e se consolidou como divisão de picapes e veículos comerciais do grupo.

2017 Jeep Compass: First Drive
2016 Ram 1500

Segundo analistas de mercado, a Jeep vale hoje cerca de U$$ 22 bilhões, enquanto a RAM alcança algo em torno de U$$ 11,2 bilhões. Tamanho valor pode ser usado pela FCA para levantar capital através da venda de ações, exatamente como aconteceu com a Ferrari. Foi por meio da oferta de 10% dos papéis da marca esportiva na bolsa de valores de Nova York que Marchionne angariou polposos 1 bilhão de euros em 2015.

Vale lembrar que a ideia dessa eventual "separação" não é promover mudanças drásticas de atuação dentro das marcas. As consequências mais visíveis seriam concentradas basicamente nas áreas financeira e contábil - e não necessariamente no setor operacional.

Fotos: divulgação