Depois da reprovação, picape teve sistemas melhorados e mudanças na calibração dos pneus

moose test, ou teste do alce, é um dos terrores de algumas montadoras. Feito pela Teknikens Varld, uma publicação sueca, o teste ficou famoso após a reprovação da primeira geração do Mercedes-Benz Classe A, o que levou a diversas mudanças e até mesmo o recolhimento de unidades das lojas após o capotamento. 

Leia também:

Um dos mais recentes casos de reprovação aconteceu com a Toyota Hilux. A picape não chegou a capotar, mas ficou sobre apenas duas rodas. O teste, que consiste num desvio brusco de rota em velocidades graduais, leva a suspensão ao limite com a transferência de peso de um lado para o outro. Na época, a Toyota alegou que iria fazer modificações nos parâmetros do controle de estabilidade e retornaria para uma nova passagem. 

 

 

E foi isso que aconteceu. Se antes o teste tinha que ser interrompido aos 60 km/h, a Hilux "remapeada" foi até os 67 km/h sem problemas. Segundo a Toyota, além do novo acerto do controle de estabilidade, a pressão dos pneus dianteiros foi aumentada para quando a caçamba tem carga. Resta saber quando as modificações serão aplicadas nas unidades já vendidas ao redor do mundo. 

Fotos e vídeo: Teknikens Varld