Sedã e hatchback médios, exclusivos da China, venderam tão mal que não conseguiram sobreviver

Quando o Fiat Viaggio foi lançado na China, muitos fãs brasileiros do Tempra e do Marea viram uma luz no fim do túnel para voltar a ter um sedã médio da marca. Mas a Fiat não se animou a trazê-lo para cá. Nem o Ottimo, sua versão hatchback. A explicação talvez esteja nas vendas baixas que ambos tiveram no mercado chinês. Sem agradar por lá, a Fiat deu o tiro de misericórdia nos dois, encerrando sua produção.

Leia também:

Com uma fábrica criada em parceria com a GAC (que poderia se fundir com a FCA, segundo a revista Quatro Rodas), a Fiat previa produzir 140 mil unidades dos dois por ano. Em 2014, vendeu metade: 70 mil. Em 2015, 30 mil. No ano passado, apenas 13 mil. Para dar uma ideia do que isso representa, o modelo mais vendido na China em 2016, o Wuling Hongguang, vendeu 567 mil unidades, ou quase 47,3 mil por mês.

 

Fiat Viaggio e Ottimo

 

O Viaggio tinha 4,68 m de comprimento, 1,85 m de largura, 1,47 m de altura e entre-eixos de 2,71 m. Tinha o motor 1.4 Fire T-JET com potências variando de 120 cv a 150 cv. O Ottimo tinha 4,55 m e 1,46 m de altura, conservando as demais medidas e motorização. Como se diz no Brasil, mas vale para a China, beleza não põe a mesa. Que Viaggio e Ottimo façam ótima viagem ao reino dos esquecidos...

Fotos: divulgação

 

Fiat Viaggio e Ottimo