Pogea Racing diz que não deixou um parafuso sem revisão nos 4 anos de desenvolvimento

Para muita gente, um Fiat 500 Abarth já estaria de bom tamanho no que se refere a esportivos. Mas tem sempre quem pede mais. Foi para esses clientes mais exigentes que a Pogea Racing criou o Pogea Ares, um Fiat 500 Abarth de 411 cv. E com carroceria quase toda de fibra de carbono. Mas o modelo tem muito mais coisas interessantes do que apenas estes dois aspectos.

Leia também:

Para começar, não estamos falando em um caso de "engine swap". Os 411 cv vêm do mesmo motor 1.4 MultiAir turbinado que equipa o Abarth. Bom, quase o mesmo. Ele teve uma série de modificações, como no bloco, reforçado, pistões, agora forjados, bielas, forjadas e de perfil H, turbocompressor, bem maior que o original, virabrequim aliviado, comando de válvulas de corrida, com válvulas de escapamento maiores, e refrigeração adicional a óleo. O projeto contou com a ajuda de Enrico Scaravelli, um engenheiro italiano especializado em Abarth, e levou o motor à potência que já citamos a 6.400 rpm e aos 45,4 kgfm a 3.350 rpm. O que levou a empresa ao problema seguinte: como transmitir tudo isso ao solo com eficiência.

 

Pogea Ares, the 404-ps Fiat 500 Abarth

 

A Pogea criou uma nova transmissão para o Ares, automatizada de dupla embreagem, com volante de alumínio, carcaça reforçada e refrigeração a óleo dedicada. Os pneus também precisavam ser maiores. A preparadora optou pelos Michelin Pilot Sport de medida 215/35 R18, mas eles não cabiam nas caixas de roda originais, que tiveram de ganhar 48 mm tanto no eixo dianteiro quanto no traseiro. Já que precisariam ser trocados, por que não fazê-los de fibra de carbono? Na brincadeira rodaram os para-choques, para-lamas, capô e capas dos retrovisores, todos trocados por peças com o material nobre, e o modelo ganhou spoilers traseiro e de teto. Por dentro das rodas POGEA RACING XCUT de medida 8x18 ET27 vão discos de 322 mm mordidos por pinças de 6 pistões.

 

Pogea Ares, the 404-ps Fiat 500 Abarth

 

A receita rendeu um veículo que vai de 0 a 100 km/h em 4,7 s e atinge a máxima de 288 km/h. Diz a Pogea que ele poderia ser ainda mais rápido se o eixo dianteiro não derrapasse tanto com toda a potência que precisa despejar no chao. O Ares conta ainda com suspensão ajustável em altura, compressão e dureza da KW Clubsport, além de coxins de amortecedor com buchas articuladas (do tipo Uniball) e barras estabilizadoras dianteira e traseira. A traseira permite ajuste de cambagem.

 

Pogea Ares, the 404-ps Fiat 500 Abarth

 

Apenas 5 unidades da formiga atômica serão fabricadas, com a opção única de virem com transmissão manual em vez da automatizada. Pela bagatela de 58.950 euros, quantia suficiente para comprar um Porsche 718 Cayman e ainda sobrar um troco. E aí, com qual você iria? Com o Porsche de 4 cilindros (e tração traseira) ou com o Fiat Abarth bombado da Pogea? A caixa de comentários é toda sua!

Fotos: divulgação

Pogea Ares, o Fiat 500 Abarth de 411 cv