Fiat 500 foi mal e caiu para três estrelas, enquanto o novo Citroën C3 ficou com quatro

Saiu mais uma rodada de testes de impacto do Euro NCAP. Desta vez, seis carros foram avaliados pelo órgão independente e o destaque ficou com o Toyota CH-R, que recebeu a nota máxima de cinco estrelas. A nova geração do Citroën C3 ficou com quatro estrelas, enquanto os urbanos Fiat 500 e Ford Ka tiveram apenas três.  

Com a implementação de regras mais rígidas em 2016, obter as cinco estrelas deixou de ser um padrão para os fabricantes, principalmente em veículos menores e mais baratos. Nesta última rodada de testes, além do já mencionado Toyota CH-R, apenas os novos Audi Q5 e Land Rover Discovery receberam a nota máxima em segurança.  

 

 

O novo crossover da Toyota foi elogiado pelo órgão pelo ótimo resultado na proteção para ocupantes adultos, com pontuação de 95%. O modelo conta com o Advanced Driver Assistance Systems (ADAS), um pacote de segurança que também inclui a frenagem autônoma de emergência. 

De acordo com o relatório, os compactos Fiat 500, Citroën C3 e Ford Ka+ tiveram desempenho abaixo da média para o seu segmento nos quesitos proteção aos ocupantes e itens de série de segurança. O órgão ainda criticou o baixo nível de proteção para os ocupantes crianças no Fiat 500 e a câmera acoplada ao para-brisa do Citroën C3 não ser utilizada para a função de frenagem autônoma de emergência (item que o modelo não tem).  

 

 

Recém chegado à Europa, o Ford Ka+ (o nosso Ka hatch) foi bem na proteção dos ocupantes, mas acabou penalizado pelo insuficiente pacote de segurança de série e também pela ausência da frenagem autônoma de emergência, que não é oferecida nem mesmo como opcional.

 

 

Reestilizado em 2015, o Fiat 500 é um bom exemplo de que o critério de classificação do órgão europeu ficou bem mais rigoroso. Em seu primeiro teste, o urbaninho da Fiat levou cinco estrelas na proteção para adultos e três estrelas para crianças. Agora, o resultado foi de 66% para adultos e 49% para crianças, sem contar os 53% para pedestres e apenas 27% em equipamentos de segurança.   

Fonte: EuroNCAP