Tentativas de encontrar um comprador foram infrutíferas e time não participa da temporada 2017 da Fórmula 1, deixando o grid com dez equipes e encerrando as esperanças de Felipe Nasr de encontrar uma vaga para este ano

E não deu para a Manor. Todas as tentativas de encontrar um comprador se mostraram infrutíferas e o time encerra as atividades, deixando o grid da Fórmula 1 com dez equipes para 2017. O time de Banbury já estava sob administração desde o início do mês, com a FRP Advisory tentando de tudo para encontrar um investidor que mantivesse o time em atividade. Com pouco tempo até o início dos testes de pré-temporada, o grupo estava em uma corrida contra o tempo para salvar a equipe.

Leia também:

Apesar do interesse de potenciais compradores - incluindo um grupo asiático - as discussões não foram adiante o suficiente para que o FRP se sentisse confortável com as propostas apresentadas. Sem avanços, o FRP decidiu nesta sexta-feira (27) encerrar as buscas por um comprador, informando ao staff do time que nenhum foi encontrado e que o time encerraria as atividades. Com isso, Felipe Nasr fica definitivamente sem uma vaga de titular, já que a Manor era a última equipe com cockpits disponíveis.

"Desde que assumiu o comando da operação, o FRP trabalhou continuamente para conseguir um novo investidor, negociando com alguns interessados. Neste período, foi garantido o pagamento de todos os funcionários até 31 de janeiro de 2017", disse, por meio de comunicado, o FRP Advisory. "Sem uma operação sustentável financeiramente, a administração finalizou as buscas e a Just Racing Services encerra as operações, tendo que, infelizmente, pedir que todos os funcionários voltem para as respectivas casas a partir de 27 de janeiro."

Embora a JRS, empresa que controlava a Manor, tenha encerrado as atividades, a Manor Grand Prix Racing Ltda., que detém os direitos de correr na Fórmula 1, não entrou em administração.

Fotos: Motorsports

Manor F1