Segundo ele, quem acusou a FCA de manipular emissões está "fumando o cigarrinho do capeta"

A FCA está sendo acusada pela EPA (agência de proteção ao meio-ambiente) americana de usar um software para enganar os leitores de emissões nos motores turbodiesel. Segundo a agência, a empresa não provou que um software usado nos carros não serve para alterar os parâmetros de injeção no momento das medições, como aconteceu com a Volkswagen. 

Como um pai defende os filhos, o CEO da FCA, Sergio Marchionne, partiu em defesa de sua "cria". Ele diz que, quem está acusando a FCA de manipulação nos motores 3.0 turbodiesel das Grand Cherokee e Dodge Ram 2014, 2015 e 2016, está "fumando o cigarrinho do capeta."

Leia também:

Ainda nada feliz com tudo isso, Marchionne disse que o sistema usado pela FCA não tem nada com o usado pela Volkswagen. 

"Não há nada em comum aqui com a realidade da VW e o que estão descrevendo aqui", Sergio Marchionne

Fonte: USA Today