Jeep Grand Cherokee e a RAM 1500 3.0 estão entre os modelos supostamente afetados

O escândalo Dieselgate da Volkswagen ainda nem chegou ao fim e a agência ambiental norte-americana EPA agora está acusando a Fiat-Chrysler (FCA) de usar dispositivos para fraudar emissões em mais de 100 mil veículos. Segundo a imprensa norte-americana, o Jeep Grand Cherokee e a RAM 1500 3.0 diesel estão entre os modelos afetados. 

Leia também:

Em sua declaração, a EPA diz que ao menos oito dispositivos auxiliares de controle de emissões não foram relatados à agência quando a FCA certificou os motores, sugerindo violações da Lei de Ar Limpo. Afirma-se que os motores cumprem as normas de emissões durante os testes normais, mas o software reduz a eficácia do sistema de emissões em velocidades mais altas ou ao dirigir por períodos prolongados. A acusação envolve picapes e SUVs que estão no mercado desde 2014. 

De acordo com o veículo e laboratório de combustíveis em Ann Arbor, Michigan, os modelos "emitem óxido de nitrogênio em excesso, além do padrão", devido à implementação dos dispositivos. A EPA diz que não há nenhuma ação imediata necessária em relação aos proprietários, uma vez que os veículos são seguros e em conformidade com a lei enquanto a investigação sobre o assunto segue. Se confirmada a culpa da empresa, as multas podem chegar a US$ 44.539 por veículo afetado.

2016 Ram 1500

Resposta

A FCA, por sua vez divulgou o seguinte comunicado: 

"FCA EUA está desapontada pelo fato da EPA resolver emitir um aviso de violação com relação à tecnologia de controle de emissões utilizado nos modelos 2014/2016 da companhia equipados com motores 3.0 litros diesel.

A FCA EUA pretende trabalhar com a administração para apresentar sua defesa e resolver este assunto de forma justa e eqüitativa e assegurar aos clientes EPA e FCA que os veículos movidos a diesel da companhia atendem a todos os requisitos regulatórios aplicáveis.

Os motores a diesel da FCA EUA estão equipados com sistemas de controle de emissões de última geração, incluindo redução catalítica seletiva (SCR). Cada fabricante de automóveis deve empregar várias estratégias para controlar as emissões do escapamento, a fim de equilibrar os requisitos regulamentares da EPA para baixas emissões de óxido de nitrogênio (NOx) e os requisitos de durabilidade e desempenho do motor, segurança e eficiência de combustível. A FCA EUA acredita que seus sistemas de controle de emissões atendem aos requisitos aplicáveis.

A FCA EUA passou meses fornecendo diversas informações em resposta a pedidos da EPA e de outras autoridades governamentais e procurou explicar sua tecnologia de controle de emissões aos representantes da EPA. A FCA EUA propôs uma série de ações para abordar as preocupações da EPA, incluindo o desenvolvimento de extensos aprimoramentos de software para nossas estratégias de controle de emissões que poderiam ser implementadas nesses veículos imediatamente para tornar ainda melhor o desempenho de emissões.

A FCA EUA aguarda com expectativa a oportunidade de se reunir com a divisão de fiscalização da EPA e representantes da nova administração para demonstrar que as estratégias de controle de emissões da FCA EUA são devidamente justificadas e, portanto, não são dispositivos enganosos sob as regulamentações aplicáveis e para resolver este assunto rapidamente."