Empresa alega que normas rígidas demais estão levando à fabricação de modelos que o mercado não quer comprar

Em entrevista concedida à agência de notícias Bloomberg, Mark Fields afirmou que deve pressionar o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, para suavizar as regras estabelecidas no país quanto ao consumo de combustível dos automóveis. Chefão da Ford, o executivo declarou que as normas vigentes não refletem a realidade do mercado e estão ficando cada vez mais impraticáveis.

Segundo Fields, para atingir os padrões de economia de combustível da chamada CAFE, as fabricantes estão sendo obrigadas a produzir híbridos e elétricos além do que o mercado é capaz de absorver.

"Em 2008, havia 12 veículos elétricos à venda nos EUA e isso representava 2,3% da indústria. Em 2016 há 55 modelos do tipo no mercado e apenas 2,8% de representatividade", afirmou Fields. "No final do dia você tem que ter clientes. Obviamente haverá pressão sobre o negócio se não houver mercado", finalizou.

Especialistas apontam que as chances de Trump ceder às pressões são grandes. Primeiro, pelo fato de ele não acreditar piamente nas consequências do aquecimento global. Segundo, pela força gigantesca exercida pelo lobby da indústria automobilística sobre a política local, ainda que isso não tenha feito diferença ao longo da administração Obama. 

Fotos: divulgação

Sergio Marchionne vs Donald Trump