Ministro da Justiça do país, Sam Gyimah diz que quer "assegurar que a punição seja compatível com o crime"

O ministro da Justiça do Reino Unido, Sam Gyimah, anunciou que pretende reformar a lei penal daquele país para poder punir motoristas que matam ao volante com penas que podem chegar a prisão perpétua. "Motoristas assassinos arruinam vidas. Sua ação causa uma dor imensurável às famílias, que têm de enfrentar perdas trágicas e desnecessárias. Ainda que seja impossível compensar a perda de uma pessoa amada, estamos determinados a assegurar que a punição seja compatível com o crime", disse ele.

A mudança nas leis deve ser promovida por meio de consultas efetuadas pelo Ministério da Justiça. As propostas incluem aumentar o tempo de prisão de uma média de pouco menos de 4 anos para 14 anos ou perpétua, dependendo de uma série de agravantes, como histórico de acidentes, uso de celulares ao volante, direção sob influência de bebidas e outras drogas e participação em corridas de rua, rachas ou mero exibicionismo ao volante, como aquelas fotografias de velocímetros registrando altas velocidades em locais públicos. Além de mais tempo de prisão, as punições devem incluir mais tempo de suspensão da carteira ou mesmo a perda do direito de dirigir.

Em 2015, 122 foram condenadas no Reino Unido por matar outras em acidentes por direção perigosa. Outras 21 foram condenadas por matar por direção distraída ou sob influência de drogas, como álcool, cocaína e outras.

 

Acidentes e fatalidades de carro