Assim como a Jeep, divisão de picapes receberá investimentos para chegar a novos mercados

Depois da Jeep e da Alfa Romeo, a mais nova marca do grupo FCA a se tornar verdadeiramente internacional deve ser a RAM. Embora os planos ainda não estejam claros, tudo leva a crer que o conglomerado ítalo-americano apostará no alcance global da divisão de picapes e comerciais leves. Tanto a curto quanto a longo prazos.

A decisão está relacionada especialmente ao crescimento do mercado de picapes em regiões da Ásia e do Oriente Médio, por exemplo. Não por acaso, a marca lançou recentemente o modelo 1200, tomando como base a Mitsubishi L200 Triton e com foco nos países árabes.

 

RAM marca global

 

De acordo com o site Allpar, a parceria com a fabricante japonesa (responsável por gerar também a Fiat Fullback) deve durar até aproximadamente 2020 e, a partir daí, a RAM investirá em modelos próprios. A brasileiríssima Toro, por exemplo, já foi flagrada rodando em testes nos Estados Unidos mais de uma vez, alimentando rumores sobre uma possível "Rampage".

No Brasil, a marca atua apenas com a grandalhona 2500, mas trouxe para o Salão do Automóvel a 1500, com a promessa de comercializá-la no ano que vem para enfrentar as versões de topo de Toyota Hilux e Volkswagen Amarok. Talvez porque a Fiat já ocupe segmentos em que ela é forte nos EUA. Por lá, o Ducato e o Doblò mais recente são vendidos com o emblema da marca americana. E vendem bem, pelo que consta. Será que eles se tornariam RAM também por aqui, em razão dessa mudança?

RAM marca global