Dieselgate à japonesa: Mitsubishi admite fraude em índices de consumo

Depois do dieselgate atingir em cheio a reputação da Volkswagen, mais um escândalo de grandes proporções estoura no meio automotivo. Em anúncio realizado nesta quarta-feira (20) por meio do presidente Tetsuro Aikawa, a Mitsubishi admitiu que manipulou testes de consumo de combustível para alcançar números finais melhores que os reais. A fraude afeta aproximadamente 625 mil veículos, em especial kei cars vendidos no próprio Japão.
Dieselgate à japonesa: Mitsubishi admite fraude em índices de consumo
Os métodos usados eram diferentes dos exigidos pelas leis japonesas e consistiam em modificar a pressão de ar aplicada aos pneus. Dessa forma, os índices de eficiência energética alcançados eram bem melhores que os obtidos na prática. A manipulação afeta 157 mil unidades dos modelos ek Wagon e ek Space, além de 468 mil unidades do Dayz e do Dayz Roox (estes produzidos pela Mitsubishi e vendidos pela Nissan).
Dieselgate à japonesa: Mitsubishi admite fraude em índices de consumo
Segundo o chefão da empresa, a gravidade do caso está sendo avaliada de perto e uma compensação sobre o assunto está sendo discutida. Além disso, foi aberta uma investigação para averiguar se a fraude afeta também modelos vendidos e produzidos no exterior. Depois do anúncio do escândalo, as ações da marca caíram mais de 15%.

Dieselgate à japonesa: Mitsubishi admite fraude em índices de consumo

Foto de: Dyogo Fagundes