Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco

Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco
O visual continua o mesmo, mas sob o capô, quanta diferença... Carro-chefe da Volvo no Brasil, o XC60 enfim ganhou versões movidas a diesel. Apostando numa motorização que deve alcançar 50% das vendas no segmento SUV Premium em 2017, a marca sueca reconhece que demorou em trazer a nova opção, mas também se justifica dizendo que as adaptações feitas para a homologação do modelo atrasaram o lançamento. Tendo como rival direto o moderno Discovery Sport, o tradicional SUV da Volvo aposta no propulsor a óleo para manter o nível de vendas e não deixar escapar clientes para a concorrência. A marca pretende fechar o ano com 2.500 unidades emplacadas do XC60, sendo 500 delas a diesel.
Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco
O XC60 é um velho conhecido nosso. Chegou por aqui em 2009 e ao longo desse tempo só recebeu retoques discretos, mantendo praticamente a mesma aparência. Comparado aos rivais, o modelo já mostra os sinais da idade, mas ainda é inegável o bom nível de construção e a percepção de qualidade na cabine. Embora esteja um pouco datada visualmente, emprega materiais de primeira linha e tem ótima ergonomia, só destoando pelo excesso de botões no console central, item já corrigido pelo irmão maior XC90.
Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco
Disponível em duas versões, o XC a diesel conta com uma lista de série bem recheada: banco dianteiro elétrico com memória para o motorista, ar-condicionado dual zone, sistema start/stop, retrovisores elétricos retráteis com desembaçador e memória, faróis de xênon direcionais com acendimento automático, LEDs diurnos, piloto automático, freio de estacionamento elétrico e rodas de alumínio aro 18”. O acabamento Momentum  inclui banco com regulagem elétrica também para o passageiro, painel de instrumentos digital de 8" com três modos de tela, teto-solar elétrico, câmera traseira de estacionamento, suporte lombar com regulagem elétrica do assento dianteiro e navegação por GPS (com mapas em 3D e informações de tráfego em tempo real). O sistema de entretenimento possui display com tela de 7" e DVD player com oito alto-falantes.
Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco
Bem servido de tecnologia, tem como destaques o Volvo On Call - serviço de segurança, proteção e conveniência que oferece assistência 24h -, além do  City Safety, que é item de série e trabalha para evitar ou reduz colisões com o veículo da frente em velocidades abaixo dos 50 km/h. O pacote de segurança ainda inclui seis airbags, controle dinâmico de estabilidade e tração, monitoramento de pressão dos pneus e sistemas de proteção contra lesões na coluna cervical e de impactos laterais. Na estrada... e fora dela A Volvo preparou um longo test-drive de quase 400 km pelas belas regiões serranas de Minas Gerais para conhecer o XC60 D5. Rodamos por pequenas cidades, rodovias duplicadas, pistas sinuosas, subidas e descidas de serra e longos trechos de terra, sempre cercados de belas paisagens fizeram parte da viagem. No primeiro trecho, de rodovia duplicada, o motor a diesel mostrou boa disposição nas saídas e retomadas, principalmente em rotações muito baixas, situação na qual a versão a gasolina demora um pouco mais a acordar. Tudo isso com agradável silencio interno e nível de vibração reduzido, levando-se em conta o tipo de propulsor. A Volvo fez um bom trabalho no isolamento do motor, deixando o característico "barulho de castanholas" dos motores a diesel bastante discreto, quase imperceptível com os vidros fechados. Como um dos seus principais atributos, o XC60 continua agradando no comportamento dinâmico: condução firme e precisa, com pouca oscilação da carroceria e ótimo trabalho das suspensões (independente nas quatro rodas). A tração integral (mandatória nos modelos diesel) deixou o o SUV sueco ainda mais seguro nas curvas, se comportando praticamente como um sedã. Além disso, ele encarou bem os trechos de terra (sem grandes obstáculos), fazendo uso da tração automática AWD (5% de força no eixo traseiro em condição normal, podendo chegar a 50%/50%, conforme a aderência do piso). O sistema atende bem num off-road leve, sem que o motorista precise intervir em nada (acionando botões ou alavancas).
Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco
Novidade aqui, o motor a diesel já existe faz tempo lá fora. Trata-se de um 5-cilindros de 2.4 litros turbo, que entrega 220 cv de potência e 44,9 kgfm de torque máximo entre 1.500 e 3.000 rpm. A Volvo declara aceleração de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos e velocidade máxima de 210 km/h. O desempenho é convincente, auxiliado pelo câmbio automático de seis marchas (com paddle shifts para trocas manuais). Tem trocas rápidas e se beneficia do amplo torque disponível em baixas rotações. Já o consumo também agrada: o Inmetro classifica o XC60 como nota "A", sendo considerado o mais econômico do segmento (9,5 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada). Os valores declarados estão próximos aos dos Discovery Sport e Toyota SW4, mas durante o test-drive, o Volvo foi ainda mais comedido: média de 10,8 km/l em todo o trajeto (maior parte em estradas de terra e muitos trechos urbanos) e bons 14,5 km/l em rodovia a 120 km/h.
Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco
Por enquanto, o XC60 custa R$ 199.950 (Kinetic) e R$ 224.950 (Momentum), preços promocionais que a marca irá praticar (ao menos em tese) até o mês de setembro. Sem a "promoção de lançamento", o valor sobe para R$ 215.950 e R$ 241.950, respectivamente. Vale lembrar o que o rival mais próximo, Land Rover Discovery Sport, parte de R$ 235,9 mil e tem como vantagem a plataforma e visual mais atual, capacidade para sete pessoas e câmbio automático de nove marchas, embora a potência seja inferior (190 cv), bem como os dados declarados de desempenho. No fim das contas, se o visual um pouco cansado não for um problema, o SUV da marca sueca satisfaz ao volante e ainda leva vantagem considerável em consumo, na comparação com o modelo a gasolina. Some-se a isso um acabamento de primeira e o conforto a bordo de sempre. Fica devendo um interior mais estiloso e moderno (como no XC90), algo que só será corrigido na próxima geração, prevista para o fim de 2017 ou início de 2018. Por Julio Cesar, de Santa Bárbara (MG) Fotos: autor/divulgação Viagem a convite da Volvo Ficha Técnica: Volvo XC60 D5 Motor: dianteiro, transversal, cinco  cilindros, 20 válvulas, 2.400 cm³, turbodiesel; Potência:  220 cv a 4.000 rpm Torque:  44,9 kgfm entre 1.500 rpm e 3.000 rpm. Transmissão: automática de seis marchas, tração integral AWD; Direção: hidráulica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e independente com braços múltiplos, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e traseira, com ABS e EBD; Rodas: aro 18" e pneus 236/60 R18; Peso: 1.903 kg; Capacidade de carga: porta-maals 490 litros, tanque 70 litros; Dimensões: comprimento 4.644 mm, largura 1.891 mm, altura 1.713 mm, entre-eixos 2.774 mm

Avaliação: Volvo XC60 a diesel anda forte e gasta pouco

Foto de: Julio Cesar