Picape média da Mercedes feita na Argentina deve se chamar GLT

Os detalhes a respeito da inédita picape média da Mercedes-Benz parecem surgir a conta-gotas, e a deixa de agora diz respeito ao batismo oficial do modelo. Conforme antecipam informações de bastidores, a sigla GLT é apontada até o momento como o nome mais indicado para designar o utilitário. A escolha segue a tendência dos demais modelos da marca e na verdade é uma abreviação para "Geländewagen Leicht Truck", ou "picape leve para todo terreno", em alemão.
Picape média da Mercedes feita na Argentina deve se chamar GLT
Conforme antecipado anteriormente, a GLT será produzida na Argentina por meio de uma parceria firmada com o grupo Renault-Nissan. A base do projeto será a nova geração da Frontier e cada marca, incluindo a Renault, construirá uma picape própria sobre a plataforma da japonesa. No caso da Mercedes, o modelo será bastante diferenciado dos demais, contando com motores diesel e gasolina de quatro e seis cilindros próprios, além de câmbios manual de seis marchas e automático de sete velocidades.
Picape média da Mercedes feita na Argentina deve se chamar GLT
O posicionamento da picape no mercado será premium, sem qualquer status de veículo comercial. Oferecida unicamente com cabine dupla, terá suspensão traseira independente como forma de priorizar o conforto. Entre outros destaques, trará teto solar, janela traseira com abertura elétrica e tampa da caçamba com abertura em 180 graus. Projeção/Theophilus Chin A produção será concentrada na Argentina e tem início previsto para 2018 ou, no máximo, 2019. Global, a GLT será vendida na América do Sul (sendo o Brasil o principal mercado), África do Sul, Austrália e Europa.

Picape média da Mercedes feita na Argentina deve se chamar GLT

Foto de: Dyogo Fagundes