Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada

Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
Disposta a brigar apenas no andar de cima entre as picapes médias, a Volkswagen aproveitou a chegada da linha 2015 da Amarok para aumentar o leque de opções com o lançamento da série Dark Label. Trata-se de uma edição limitada posicionada entre as versões Trendline e Highline, que traz visual mais esportivo, acabamento interno exclusivo e equipamentos de segurança presentes na versão de topo. O que é? Com produção limitada a 1.000 unidades, a Amarok Dark Label aposta em elementos de design pintados de preto fosco: santantônio, estribos laterais, maçanetas, capa dos retrovisores e para-choque traseiro. Completam o visual externo vidros laterais traseiros e vigia escurecidos, novo defletor dianteiro e lanternas traseiras escurecidas, além dos sensores de estacionamento dianteiro e traseiro. Na lateral há uma faixa decorativa com o logotipo Dark Label nas portas traseiras. As rodas de liga leve são do modelo “Roca” aro 17" com pneus 245/45 R17.
Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
No interior, o acabamento conta com forração parcial dos bancos em couro Alcantara e tapetes de veludo personalizados no assoalho. Manoplas das alavancas de câmbio e de freio de estacionamento são revestidas de couro, enquanto a moldura do rádio e as saídas centrais de ventilação têm acabamento diferenciado. O novo volante multifuncional, semelhante ao do Golf, traz detalhes em preto brilhante e revestimento de couro. Como anda? Para conhecer a edição limitada, a Volkswagen preparou um test-drive de cerca de 200 km com trecho predominantemente de estrada pelo interior de SP e outro num circuito off-road fechado. Na ocasião a marca promoveu o lançamento da linha 2015 da picape, mas como não houve mudanças mecânicas, as demais versões não estavam disponíveis para avaliação.
Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
Na rodovia a picape mantém suas qualidades de sempre: rodar confortável e sem muito balanço da carroceria, baixo nível de ruído, pouca vibração do motor transmitida à cabine e boa estabilidade - na prática, quase o nível de conforto de um carro de passeio. A primeira marcha do câmbio automático de outo velocidades tem relação muito curta, que a própria marca define como uma “marcha reduzida” para off-road. A 10 km/h o câmbio já joga a segunda marcha, garantindo bom torque e agilidade nas saídas. Direção bem calibrada, assim como a suspensão, deixam a tocada bem agradável.
Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
Por outro lado, no circuito off-road fechado pudemos colocar à prova um pouco do sistema de tração integral permanente e os diversos equipamentos de segurança e sistemas de auxílio no uso fora-de-estrada: rampas e declives bastante acentuados, inclinações laterais, caixa de pedras, areia e buracos foram superados com bastante facilidade. Muitas vezes, os sistemas de ajuda automáticos sequer chegaram a ser acionados. Na prática, a condução por obstáculos mais difíceis acaba sendo tranquila mesmo para quem não está habituado, embora saibamos que os donos da picape raramente enfrentarão trajetos com esse nível de dificuldade.
Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
Sem mudanças mecânicas em relação às versões Trendline e Highline, a Dark Label está disponível exclusivamente com o motor 2.0 litros turbodiesel de 180 cv e torque de 42,8 kgfm a 1.750 rpm  associado ao câmbio automático de oito marchas. A picape possui também o sistema de tração permanente 4MOTION. Quanto custa? Como já dissemos, a edição Dark Label chega posicionada entre as versões Trendline e Highline. Surge como opção intermediária com visual mais esportivo e bom recheio de equipamentos de segurança. Traz como principais itens de série os faróis com luz de condução diurna e regulagem elétrica de altura, ar-condicionado, retrovisores externos com regulagem elétrica e aquecimento, controle de cruzeiro, duas tomadas de 12V (uma no painel de instrumentos e uma no console), faróis de neblina com luz estática para conversão, rádio RCD320 com CD-Player, SD-card e USB e Bluetooth, tampa traseira com chave e sistema de alívio de peso, computador de bordo, bancos dianteiros com ajustes de altura e lombar, airbags laterais (motorista e passageiro) e gaveta sob o banco do motorista.
Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
Entre os equipamentos de segurança a picape vem com ABS off-road, controle de descida, assistente de saída em aclives, bloqueio eletrônico de diferencial, controles de tração e estabilidade e controle de rolagem - muitos destes itens exclusivos no segmento. Na lista de opcionais há sistema de navegação integrada ao painel, sensores de chuva e de luminosidade (crepuscular), retrovisor interno eletrocrômico e engate para reboque, além das rodas aro 18" na cor preta.
Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada
Disponível apenas na configuração cabine dupla e com câmbio automático, a edição Dark Label chegará às lojas em meados de abril e custará algo em torno de R$ 140 mil, de acordo com a previsão da Volkswagen. Ficha Técnica: Volkswagen Amarok Dark Label Motor: dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, injeção direta, 1.968 cm3, biturbo e intercooler, diesel; Potência:  180 cv a 4.000 rpm Torque: 42,8 kgfm a 1.750 rpm Transmissão: automática de oito marchas, tração integral; Direção: assistência hidráulica  Suspensão: dianteira, independente com braços sobrepostos; traseira eixo rígido Freios: disco ventilado na dianteira e tambor na traseira (ABS) Rodas: aro 17" pneus 245/45 R17 Peso:  2.048 kg Capacidades: 1.280 litros / 1.042 kg carga útil Dimensões:  comprimento 5.254 mm; largura 1.944 mm; altura 1.834 mm; entre-eixos 3.095 mm. Off-road: ângulo de entrada 30°, ângulo de saída 22°, ângulo central 23°. Galeria: VW Amarok Dark Label

Volta Rápida: edição Dark Label deixa Amarok mais invocada

Foto de: Julio Cesar