Mercedes: futura picape GLT será bem mais que um simples 'rebadge'

Com lançamento global programado para meados de 2018, a inédita picape GLT da Mercedes-Benz será bem mais que um simples rebadge da Nissan Frontier. Em entrevista concedida recentemente ao portal australiano CarAdvice, o executivo Thomas Weber afirmou que o modelo será um "legítimo Mercedes". Na concepção de Weber, apesar de a camionete dividir plataforma com a Frontier, ela terá todos os atributos necessários para fazer jus ao título de primeira picape do mercado feita por uma fabricante premium.
Mercedes: futura picape GLT será bem mais que um simples 'rebadge'
Segundo anunciado, o posicionamento da picape no mercado será elevado em relação a todas as médias de marcas generalistas atuais, sem qualquer status de veículo comercial. Oferecida unicamente com cabine dupla, a GLT terá suspensão traseira independente como forma de priorizar o conforto e uma série de mimos praticamente inexistentes na categoria. Entre outros destaques, trará teto solar, janela traseira com abertura elétrica e tampa da caçamba com abertura em 180 graus.
Mercedes: futura picape GLT será bem mais que um simples 'rebadge'
Conforme dito anteriormente, a produção do modelo será concentrada em dois países: Argentina e Espanha. Na nação vizinha, mais precisamente em Córdoba, serão produzidos 70 mil exemplares ao ano com foco no abastecimento da América Latina, sendo o Brasil o principal mercado. Na planta europeia, especificamente em Barcelona, serão feitas anualmente 120 mil unidades, destinadas ao próprio continente, além de Ásia, Oceania e provavelmente América do Norte.

Mercedes: futura picape GLT será bem mais que um simples 'rebadge'

Foto de: Dyogo Fagundes