Motos: média diária de vendas na 1ª quinzena de julho é a pior em 10 anos

Os resultados negativos do mercado de moto no Brasil parecem não terminar. Segundo balanço divulgado na última sexta-feira (17) pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam (Denatran), a média diária de vendas de motocicletas teve uma queda de 7% nos primeiros quinze dias de julho em relação ao mesmo período de 2014, passando de 5.164 para 4.801 unidades emplacadas - o pior índice desde 2005. Em relação à primeira quinzena de junho, que registrou 5.084 comercializações, o decréscimo foi de 5,6%.
Motos: média diária de vendas na 1ª quinzena de julho é a pior em 10 anos
Mesmo com essa grande queda registrada, a primeira metade do mês de julho, que contou com 11 dias úteis de comercialização e totalizou 52.808 emplacamentos, apresentou alta de 3,9% em comparação aos primeiros quinze dias de junho (50.838), com 10 dias de vendas. Porém, quando comparamos à primeira quinzena de 2014 (56.803 em 11 dias úteis), observa-se queda de 7% nos negócios.
Motos: média diária de vendas na 1ª quinzena de julho é a pior em 10 anos
Até o momento, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a Honda CG 150 lidera a lista das motos mais vendidas no mês de julho, com 15.996 unidades emplacadas, seguida pela NXR Bros, com 9.420, Biz (8.826), Pop 100 (4.977), CG 125 (2.777), CB 300R (1.519), Yamaha YBR 125 (1.432), Honda XRE 300 (1.408), Yamaha Fazer 150 (1.390) e Honda PCX 150 (885).
Motos: média diária de vendas na 1ª quinzena de julho é a pior em 10 anos
De acordo com os números levantados pela Abraciclo, o Brasil atualmente é o sexto maior produtor mundial de motocicletas, com uma produção anual de cerca de 1,4 milhão de motos, totalizando uma frota nacional de mais de 20 milhões de unidades.

Motos: média diária de vendas na 1ª quinzena de julho é a pior em 10 anos

Foto de: Redação