Crise: procura por usados cresce 28% no primeiro bimestre

Ao mesmo tempo em que as vendas de carros novos caem drasticamente, a procura por usados dispara. Somente no primeiro bimestre de 2016, 200 mil pessoas visitaram os feirões Auto Show, organizados pela Matel Produções em São Paulo e no ABC Paulista - crescimento de 28% na comparação com os últimos dois meses de 2015. O crescente aumento na procura por carros usados mostra uma mudança no perfil do consumidor. Lembrando que a queda na produção de carros novos em 2015 chegou a 22,8, de acordo com a Anfavea, entidade que reúne os fabricantes do setor. Quem visita o feirão aponta que a principal vantagem do usado é o preço mais acessível, além de geralmente ser mais equipado que um carro zero quilômetro: “Uma pesquisa com os nossos compradores mostra que antes da crise o preço do carro novo estava em elevação, mas a facilidade de financiamento chegava a ocultar esta realidade, no entanto no mercado dos seminovos e usados, existem ofertas e muitas vantagens de compra além do preço.”, avalia Eduardo Ribeiro dos Santos, diretor da Matel Produções, organizadora dos Feirões Auto Show. O executivo ainda afirma que a tendência de aumento na procura pelos usados vem acontecendo nos últimos anos. Os principais motivos seriam a inflação do carro zero e a oferta de crédito cada vez mais reduzida e cara para novos.
Crise: procura por usados cresce 28% no primeiro bimestre
A organizadora ainda aponta algumas vantagens adicionais na compra do usado: - Com o mesmo valor de um carro novo 1.0 com ar condicionado e direção hidráulica, é possível comprar um veículo de motorização intermediária mais equipado; - Um carro de até três anos de uso ainda está em excelentes condições, especialmente os veículos de baixa quilometragem; - A curva de desvalorização já atingiu seu nível de equilíbrio; isso quer dizer que ao comprar um carro usado, na hora da revenda a perda será mínima; - O valor do seguro é equivalente entre os dois; - O preço da cesta básica de peças também é equivalente, especialmente nos modelos de marcas mais conhecidas no mercado; - Com o prazo de garantia mais longo, um carro com dois ou três anos de uso geralmente ainda está coberto pela garantia de fábrica, que é de pelo menos três anos, e chega a até cinco anos conforme a marca.

Crise: procura por usados cresce 28% no primeiro bimestre

Foto de: Redação