Rússia: Depois da Opel, Peugeot, Citroën e Fiat também podem deixar o país

Rússia: Depois da Opel, Peugeot, Citroën e Fiat também podem deixar o país
Depois da General Motors anunciar a redução da atuação da Chevrolet e a saída completa da Opel, a Rússia corre o risco de ver seu mercado automotivo sofrer novas baixas. Conforme aponta o portal local Drive.ru, a situação crítica do mercado e as incertezas sobre o andamento da economia podem fazer com que Peugeot, Citroën e Fiat encerrem suas atividades no país. A queda nas vendas acumulada desde o ano passado é expressiva e tem tornado a manutenção das operações praticamente insustentável.
Rússia: Depois da Opel, Peugeot, Citroën e Fiat também podem deixar o país
Só nos primeiros dois meses deste ano, por exemplo, as vendas caíram 78% e 81% para Citroën e Peugeot, respectivamente. No caso da Fiat a redução foi menor, mas ainda assim significativa: 35%. Outras marcas de atuação importante também correm o risco de sair em debandada. A Suzuki acumula queda de 73%, a Ford de 70% e a Honda de incríveis 86%. A Seat deixou o país ainda no ano passado, igualmente como consequência das baixas vendas. Outrora considerada um dos mercados mais promissores da Europa, a Rússia oferece saída agora apenas para as marcas que fabricam localmente e usam peças majoritariamente produzidas em solo russo. É o caso de Toyota, Renault, Nissan, Hyundai e Kia. Marcas de luxo, amparadas pela classe rica do país, também tem futuro assegurado, incluindo Mercedes, BMW, Lexus e Porsche, todas com relativo crescimento acumulado.

Rússia: Depois da Opel, Peugeot, Citroën e Fiat também podem deixar o país

Foto de: Dyogo Fagundes