Informes do Captur nacional: porte maior, suspensão multilink e motor Nissan

Novas informações sobre o Captur brasileiro começam a emergir. E a principal delas é que o uso da plataforma B0 do Duster, enquanto na Europa ele usa a base do Clio IV, terá mais serventia do que simplesmente baixar custo. A mudança também tem a ver com o porte do veículo que está sendo desenvolvido para o mercado latino americano, um pouco maior do que o europeu.
Informes do Captur nacional: porte maior, suspensão multilink e motor Nissan
Repare nesta imagem de flagra do site Worldcarfans que o "nosso" Captur terá a traseira alongada em relação ao europeu (veja a diferença de tamanho da vigia lateral traseira em relação à versão curta na imagem abaixo). Informações de bastidores dão conta de que o modelo brasileiro está em testes na Europa pois também poderá ser vendido em alguns mercados de lá como Grand Captur. Aqui deverá usar apenas Captur no nome, uma vez que não teremos o modelo curto.
Informes do Captur nacional: porte maior, suspensão multilink e motor Nissan
O porte superior vai ampliar o espaço interno e, principalmente, o porta-malas do Captur - fala-se até em uma possível versão de sete lugares,  o que sinceramente não acreditamos muito por conta do aumento no comprimento aparentar ser bem discreto. Com o crescimento da carroceria, no entanto, vai ficar mais fácil para a Renault justificar seu preço superior ao do Duster, pois o Captur terá porte semelhante ao do irmão e mais refinamento no visual e na cabine. Além disso, sua arquitetura será emprestada do Duster 4x4/Oroch, que possui suspensão traseira multilink, e não por eixo de torção como nos Duster 4x2.
Informes do Captur nacional: porte maior, suspensão multilink e motor Nissan
A estreia deverá acontecer pela versão com motor 2.0 16V flex da Renault (com potência que pode chegar a 150 cv) e câmbio de seis marchas no primeiro semestre de 2016, somente com tração dianteira. Depois será a vez de um inédito uso do motor 1.6 16V da Nissan (que hoje serve ao March e Versa) para o Captur de entrada, transformando-se em mais um ponto de diferenciação para o Duster. Versão automática é cotada para o 2.0, o problema seria usar a velha transmissão de quatro marchas do Duster...
Informes do Captur nacional: porte maior, suspensão multilink e motor Nissan
Uma opção seria adotar a transmissão CVT do Fluence, sedã que aliás vai inspirar a parte interna do Captur brasileiro. O painel do crossover, por exemplo, será feito de espuma injetada, para ficar macio ao toque e transmitir sofisticação na comparação com o Duster. Preços deverão partir dos R$ 70 mil, contra R$ 62.490 do Duster de entrada, na medida para encarar rivais como Honda HR-V, Jeep Renegade e Peugeot 2008.

Informes do Captur nacional: porte maior, suspensão multilink e motor Nissan

Foto de: Redação