Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia

Assim que surgiram os primeiros flagras do Fiat Egea em testes no leste europeu, acionamos nossa rede de contatos no Brasil para saber se haveria chance de termos o modelo em nosso mercado. A resposta foi categórica: "Sim, os planos existem, mas apenas como importado de baixo volume". Só que as coisas mudam rápido dentro de uma fábrica de automóveis, caro leitor, e mais ainda dentro da Fiat brasileira, que chegou à liderança de mercado muito por conta de suas decisões ágeis.
Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia
O fato é que, desde essa conversa inicial com nossas fontes, o dólar disparou para além dos R$ 4 e a Fiat (na verdade o Grupo FCA) mudou de presidente na América Latina - Cledorvino Bellini deixa o cargo em novembro com sua missão mais do que cumprida e entrega nas mãos de Stefan Ketter, quem vem da vice-presidência mundial de manufatura. Considerando "apenas" isso, temos uma mudança de rumos enorme, sendo que a alta da moeda norte-americana torna o plano inicial de importação praticamente inviável. E mais: Ketter foi o responsável por comandar o projeto "Fábrica de Pernambuco", ou seja, ninguém melhor que ele conhece a linha de produção de Goiana.
Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia
Pois é justamente na fábrica pernambucana que a Fiat brasileira deverá fabricar, a partir de 2017, as versões sedã e hatch do Egea, que está sendo lançado agora na Turquia. O primeiro vai assumir o lugar do Linea e o segundo, previsto para ser apresentado no Salão de Genebra de 2016, será o substituto do Bravo (projeção abaixo). A informação da produção no Brasil saiu em dois sites europeus, o AutoMonitor português e o britânico Just Auto. Haverá ainda uma variante perua para a vaga da antiga Marea Weekend, esta ainda não cogitada para cá.
Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia
Projetado pelo centro de design da FCA na Itália, o Egea tem design elegante e tradicional, sem arroubos de ousadia. O sedã mede 4,50 metros de comprimento, 1,78 metro de largura e possui distância entre-eixos de 2,64 metros. O porta-malas tem capacidade para 510 litros. São medidas ligeiramente maiores que as do Linea, resolvendo o problema de o atual derivar de uma base compacta (o Punto) - tanto que a versão hatch do Egea ocupará o lugar do Bravo, e não do Punto. Na estreia turca, o sedã conta com quatro opções de motor: 1.4 e 1.6 E.TorQ a gasolina ou 1.3 e 1.6 Multijet a diesel, sempre com câmbio de seis marchas, seja manual ou automático.
Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia
Por aqui, a Fiat já faz testes do motor 1.4 T-Jet em conjunto com a transmissão de seis marchas do Jeep Renegade - e até mesmo com o câmbio de nove marchas das versões a diesel do Jeep. Vale lembrar que daqui a dois anos o segmento de sedãs médios contará com, no mínimo, mais dois modelos turbinados: os próximos Honda Civic (1.5 turbo) e Chevrolet Cruze (1.4 turbo). Ou seja, nada mais normal que um Egea 1.4 T-Jet com câmbio A/T de seis marchas, já devidamente atualizado com injeção flex e comando variável MultiAir, certo? Sendo menos otimista, também é possível prever uma versão de entrada com o motor 1.8 E-TorQ melhorado, como o que vai equipar a picape Toro.
Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia
A Fiat local diz que a produção local do Egea não passa de especulação da imprensa europeia, mas geralmente onde há fumaça, há fogo. Estamos de olho...

Fiat Egea (novo Linea) será produzido no Brasil, diz imprensa europeia

Foto de: Daniel Messeder