Mercedes demite 500 funcionários e coloca 7 mil em férias coletivas

Se no segmento de automóveis a Mercedes está otimista com recordes de vendas, inauguração de concessionárias e construção da fábrica em Iracemápolis(SP), no ramo de veículos pesados a situação é bem diferente:  o setor já sente os efeitos da crise, com redução de produção e anúncio de demissões. Nesta semana, a marca confirma a demissão de 500 funcionários na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. De acordo com a empresa, a baixa afeta especialmente trabalhadores que estavam com contratos suspensos e decorre principalmente da baixa demanda pelos caminhões e ônibus produzidos na unidade. O desligamento dos empregados deve acontecer na próxima sexta-feira, 29. Não bastasse as demissões, a Mercedes anuncia ainda que 7 mil funcionários das áreas de produção entrarão em regime de férias coletivas por 15 dias a partir de 1º de junho. Em comunicado oficial, empresa declarou que "precisa recorrer às medidas para enfrentar o desfavorável cenário econômico". Um porta-voz disse ainda que a companhia possui um excedente de 1.750 colaboradores na fábrica paulista.