Anfavea: vendas de veículos caem 31,4% em janeiro; produção fica quase estável

A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), apresentou em coletiva realizada nesta quinta-feira (5) o balanço da indústria automobilística do mês de janeiro. A produção total do mês passado, afetada pela greve na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, registrou ligeira alta de 0,4% em relação a dezembro de 2014, totalizando 204,8 mil unidades. Se compararmos esse número com janeiro de 2014, porém, houve queda de 13,7% (237,3 mil unidades). De acordo com a Anfavea, foram licenciados 253,8 mil carros, comerciais leves, caminhões e ônibus em janeiro de 2015, representando queda de 31,4% em relação a dezembro e 18,8% se compararmos com janeiro do ano passado. Lembrando que os veículos utilitários esportivos (SUVs e crossovers), anteriormente classificados como comerciais leves, agora são considerados automóveis.
Anfavea: vendas de veículos caem 31,4% em janeiro; produção fica quase estável
As exportações também foram mal no primeiro mês de 2015. Segundo a entidade, a exportação de veículos sofreu queda de 27,9% no mês passado, com 16.302 mil unidades exportadas, se comparado com o mesmo período de 2014, e 30,4% em relação a dezembro de 2014. Os postos de trabalho da indústria automotiva também foram reduzidos em janeiro de 2015, para 144.104, queda de 0,3%, contra os 144.508 existentes em dezembro de 2014. Quando comparamos esse número com janeiro de 2014, porém, a redução é ainda maior, de 8,1% (156.878 pessoas).
Anfavea: vendas de veículos caem 31,4% em janeiro; produção fica quase estável
Sobre o aumento do teor de etanol na gasolina, proposta encaminhada para decisão da presidente Dilma Rousseff. a Anfavea defende uma gasolina com menor teor do combustível vegetal em sua mistura. Ainda assim, a entidade e suas montadoras associadas, que conta com a recente inclusão do BMW Group Brasil, vão sempre alertar os consumidores sobre a melhor gasolina a utilizar. Estão sendo realizados testes de desempenho e durabilidade com o combustível com alto teor de etanol para verificar se a nova mistura provocará danos ao motor, como aumento da corrosão, por exemplo. Ainda assim, a questão da garantia deverá permanecer inalterada, conforme indicou Luiz Moan Yabiku Junior, presidente da Anfavea. Foi anunciado também por Moan que o Plano Nacional de Exportação, do Governo Federal, deve ser anunciado ainda no primeiro trimestre de 2015, o que ajudaria a impulsionar a indústria automotiva brasileira.

Anfavea: vendas de veículos caem 31,4% em janeiro; produção fica quase estável