Só falta o anúncio oficial: airbags e ABS obrigatórios ficarão para 2016

Em nota, a Anfavea (associação que reúne as principais montadoras) anunciou nesta quarta-feira (11) que a exigência de airbags e ABS em 100% dos veículos produzidos no Brasil será prorrogada. No documento, a entidade revela que "fomos informados desta medida, como decisão". Procuradas pela reportagem de CARPLACE, algumas montadoras também se mostraram surpresas com a mudança - inclusive as que serão afetadas diretamente pela "virada de mesa" do governo. Tudo começou nesta segunda-feira (9) com uma reunião entre o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e representantes da indústria para discutir o impacto financeiro da instalação desses itens, que aumentaria em cerca de R$ 1,5 mil o preço básico dos carros que ainda não contam com airbags frontais e ABS de série - uma fatia cada vez menor do mercado, diga-se de passagem.
Só falta o anúncio oficial: airbags e ABS obrigatórios ficarão para 2016
Na terça-feira (10), em assembleia no pátio da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP), Wagner Santana, secretário geral do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, já saiu afirmando que o governo federal anunciaria na próxima semana uma medida provisória (MP) com novas regras sobre os prazos para a obrigatoriedade do ABS e dos airbags. Tais medidas permitirão que VW Kombi e Gol G4, além de Ford Ka e Fiat Mille, continuem sendo produzidos até 2016. Ou seja, haverá mais dois anos para atender à lei sem ter que discutir demissões com os trabalhadores excedentes. A VW, por exemplo, dispensaria cerca de 4 mil funcionários com o fim da produção da Kombi e do Gol G4, segundo o sindicato. Com a nova resolução, em 2014 apenas 70% dos carros teriam de trazer os itens, e em 2015 um índice maior. A partir de 2016, finalmente, todos os carros atenderiam à lei que deveria vigorar a partir do próximo dia 1º de janeiro.
Só falta o anúncio oficial: airbags e ABS obrigatórios ficarão para 2016
Em entrevista à reportagem do CARPLACE, um trabalhador do setor automotivo que preferiu não se identificar disse que a proposta foi liderada pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, com apoio do ex-presidente Lula. Segundo ele, Lula teria inclusive conversado com a presidente Dilma para que aprovasse a MP. Apesar de mostrarem surpresas, Fiat e VW já se pronunciaram dizendo que cumprirão integralmente as determinações legais, ou seja, dão a entender que manterão em linha os modelos que seriam descontinuados - enquanto a Ford deve mesmo enterrar o Ka atual. Por outro lado, de acordo com a mesma fonte, as chamadas "newcomers" (Renault/Nissan, Toyota, Honda, Peugeot/Citroën, entre outras) foram contrárias à medida, podendo acarretar no cancelamento de investimentos já anunciados, em virtude de colocar em jogo todo o planejamento dos últimos anos. De fato, é natural a preocupação do sindicato com a questão das demissões. No entanto, as montadoras já deveriam estar preparadas para esta situação, pois as resoluções 311 e 312 do Contran, que tornam os itens obrigatórios a partir de 2014, foram aprovadas em 2009. Tanto é que a Volkswagen criou a versão de despedida da Kombi (Last Edition) e até organizou uma visita da imprensa internacional à linha de montagem da "velha senhora", enquanto a Fiat iria anunciar em breve a edição derradeira Gazie Mille.
Só falta o anúncio oficial: airbags e ABS obrigatórios ficarão para 2016
Cabe, agora, ao consumidor se mostrar contrário à prorrogação da lei, optando por veículos mais modernos e seguros. E se um dos problemas está no preço destes itens, então por que não manter a isenção do IPI para 2014, ministro Mantega? O anúncio oficial, tanto do adiamento da lei quanto da retomada do IPI para o ano que vem, será feito ainda antes do Natal.

Só falta o anúncio oficial: airbags e ABS obrigatórios ficarão para 2016

Foto de: Daniel Messeder