Suzuki admite que Kizashi foi "enorme dor de cabeça" e descarta nova geração

A Suzuki admitiu recentemente em entrevista que o sedã médio Kizashi fracassou comercialmente e rendeu "enormes dores de cabeça" para a marca. "Falando francamente, não deveríamos ter lançado o Kizashi em 2009. Mas, parando para analisar, percebemos que havíamos feito um enorme investimento para desenvolvê-lo e não colocá-lo no mercado renderia um prejuízo maior ainda", explicou Masaaki Kato, diretor da Suzuki Austrália.
Suzuki admite que Kizashi foi "enorme dor de cabeça" e descarta nova geração
Apesar do design atraente e da mecânica elogiada, o Kizashi teve a má sorte de ter sido lançado no auge da crise econômica mundial. Para priorar, o modelo era considerado caro na comparação com outros concorrentes, principalmente no Japão. Como resultado, fracassou nos principais mercados da Europa, além dos Estados Unidos e da Austrália.
Suzuki admite que Kizashi foi "enorme dor de cabeça" e descarta nova geração
A Suzuki admitiu que se o sedã tivesse alcançado sucesso teria desenvolvido uma versão perua e que um motor V6 seria disponibilizado para ampliar o leque de opções. No entanto, diante do fiasco nas vendas, nem mesmo uma nova geração será lançada.

Suzuki admite que Kizashi foi "enorme dor de cabeça" e descarta nova geração

Foto de: Dyogo Fagundes