Nissan quer superar Toyota e ser primeira asiática na Europa até 2016

A Nissan está decida a recuperar a posição perdida para a Toyota em 1998 e voltar a ser a maior montadora asiática da Europa dentro de no máximo dois anos. Em entrevista concedida à agências internacionais, o presidente da empresa no continente, Trevor Mann, disse que a renovação de modelos consagrados e a inserção em novos segmentos farão a marca aumentar de forma significativa sua participação no mercado e recuperar a posição por volta de 2016. Modelos como o Qashqai e o inédito hatch rival do VW Golf são estratégicos para consolidação da meta.
Nissan quer superar Toyota e ser primeira asiática na Europa até 2016
Conforme explica Mann, o mercado em recuperação (principalmente Espanha e França) e o lançamento de novos modelos (alguns até inéditos) são as principais fontes que alimentam as expectativas da marca. Para este ano, o objetivo é vender 750 mil unidades e conquistar 6% de participação no continente, ampliando os números gradativamente até 2016. Nesse montante, só o Qashqai responde por algo entre 200 mil e 300 mil unidades, sendo complementado por outros carros bons de loja como o Juke e o Note.
Nissan quer superar Toyota e ser primeira asiática na Europa até 2016
A joia da coroa, porém, promete ser o inédito hatch de porte médio. Sucessor simbólico do Almera, o modelo será montado sobre a plataforma CMF (a mesma do Qashqai) e promete ser um rival à altura do Golf, histórico best seller da Volkswagen. Atual líder, a Toyota promete contra-atacar oferecendo uma gama mais diversificada e composta especialmente por modelos híbridos. Outra ameaça aos planos da Nissan é a Hyundai, que cada vez mais tem conquistado espaço com modelos mais baratos e equipados, cobertos por garantias que chegam a até 5 anos.

Nissan quer superar Toyota e ser primeira asiática na Europa até 2016

Foto de: Dyogo Fagundes