"Uma fábrica da Kia no Brasil é inevitável", revela Gandini

Uma das marcas mais afetadas pelas nova regras de importação impostas pelo governo, a Kia Motors hoje depende de uma fábrica no Brasil para que a operação local volte a níveis viáveis comercialmente. Isso porque a empresa teve as vendas reduzidas em nada menos que 46% em 2012, na comparação com o ano anterior, e teve de fazer cortes de investimentos (como o patrocínio ao time de futebol do Palmeiras) e também de postos de trabalho.
"Uma fábrica da Kia no Brasil é inevitável", revela Gandini
Diante da situação, o presidente da importadora da marca, José Luiz Gandini, afirmou à reportagem do CARPLACE que "uma fábrica da Kia no Brasil é inevitável", durante entrevista realizada no lançamento do novo Cerato no país. Gandini, entretanto, não detalhou os planos. "A definição depende da matriz. Não sabemos quem fará a fábrica, se a própria Kia ou o Grupo Gandini, e essa é a principal razão para não termos entrado no Inovar-Auto", disse.
"Uma fábrica da Kia no Brasil é inevitável", revela Gandini
Enquanto não bate o martelo sobre a fábrica brasileira, a marca prepara uma ofensiva de lançamentos até janeiro de 2014. Segundo Gandini, a Kia deve trazer os novos Cerato hatch, a minivan Carens, o Optima reestilizado, o Cerato Koup e o Soul de nova geração, nessa ordem. Assim, a marca espera esperar fechar 2013 com pelo menos 45 mil carros vendidos, o que representaria uma alta de 10% em relação ao ano anterior. Com Rodrigo Lara, de Itaparica (BA)

"Uma fábrica da Kia no Brasil é inevitável", revela Gandini

Foto de: Daniel Messeder