Sindicato quer colocar parte da Chrysler à venda e Fiat se irrita

Sindicato quer colocar parte da Chrysler à venda e Fiat se irrita
A disputa da Fiat pelo controle total da Chrysler promete ficar cada vez mais acirrada. Hoje detentora de 58,5% das ações da empresa, a gigante italiana sonha em adquirir os 41,5% que estão nas mãos do United Auto Workers, sindicato que reúne os metalúrgicos automotivos dos Estados Unidos. O problema é que a Fiat se recusa a pagar os US$ 5 bilhões pedidos pelo UAW e o sindicato, então, entrou com um pedido de oferta pública de seus papéis no mercado de ações - medida que irritou imediatamente Sergio Marchionne.
Sindicato quer colocar parte da Chrysler à venda e Fiat se irrita
Em resposta à ação, a Fiat declarou que está reconsiderando o seu comprometimento, compartilhamento de tecnologia, plataforma e outros recursos com o grupo Chrysler. "A Fiat nos informou que está reconsiderando os benefícios e custos de ampliar seu relacionamento conosco", afirmou a Chrysler em documentos enviados à Securities and Exchange Commission, órgão regulador dos mercados acionários dos EUA. Há quem diga, no entanto, que a oferta pública inicial de ações, a chamada IPO, nunca acontecerá. Isso porque o pedido vem sendo interpretado, principalmente por quem conhece de perto o caso, como uma manobra do UAW para conseguir da Fiat um valor maior pelos seus papéis. Na resposta que deu, a gigante italiana já sinalizou que não deve ceder às pressões.

Sindicato quer colocar parte da Chrysler à venda e Fiat se irrita

Foto de: Dyogo Fagundes