GM quer reduzir dependência da Coreia para fugir dos altos custos

Com produção comprometida por conta de constantes greves trabalhistas e preocupada com o aumento dos custos da mão de obra, a General Motors confirmou que estuda reduzir sua dependência da Coreia do Sul, hoje um dos principais pólos de produção e desenvolvimento do grupo. Detalhes da medida não foram revelados, mas expectativa é que a marca transfira parte da produção para locais economicamente mais vantajosos. A informação foi confirmada por três executivos, que preferiram não se identificar.
GM quer reduzir dependência da Coreia para fugir dos altos custos
"Se algo der errado na Coreia do Sul, seja o custo, a política ou a questão dos sindicatos, teremos um impacto tremendo", revela uma das fontes. Os planos da GM já começaram a ser postos em prática com a transferência da produção do Opel Mokka de uma das plantas sul-coreanas para a Espanha. Para os próximos anos, especula-se que a nova geração do Cruze deixe o país rumo à Europa e que o próximo Aveo passe a ser feito na China.
GM quer reduzir dependência da Coreia para fugir dos altos custos
A Coreia do Sul, oitava nação que mais exporta no mundo, é atualmente o principal centro de desenvolvimento de modelos compactos da GM. O grupo se fortaleceu no país por volta de 2002 com a compra da Daewoo e concentra hoje 20% do volume total de sua produção no tigre asiático. 80% desse montante são destinados a outros mercados.

GM quer reduzir dependência da Coreia para fugir dos altos custos

Foto de: Dyogo Fagundes