Caso de polícia: Concessionária norte-americana vende carro por preço errado e quem “paga o pato” é o comprador

Um caso curioso e um tanto peculiar ocorreu com um homem na cidade norte-americana de Chesapeake, estado da Virginia. Logo após a assinatura do contrato de aquisição de um Chevrolet Traverse, a equipe de revenda descobriu que, acidentalmente, havia vendido o veículo por 5.600 dólares a menos. Diante da negativa do comprador em assinar um novo contrato a concessionária ligou para a polícia alegando que Danny Sawyer havia furtado o veículo. Enquanto a polícia investigava a veracidade dos fatos o consumidor permaneceu detido por quatro horas. E de nada adiantaram os pedidos de desculpas feitos por Dennis Ellmer, presidente da Chevrolet, em nome da revenda. Sawyer entrou na justiça pedindo US$ 2,2 milhões por danos - mais US$ 5.600 pelos custos advocatícios -, alegando acusação maliciosa, abuso, calúnia e difamação por parte da empresa.
Caso de polícia: Concessionária norte-americana vende carro por preço errado e quem “paga o pato” é o comprador
Nos autos do processo consta que Sawyer comprou um Traverse azul em 7 de maio, porém levou o SUV de volta no dia seguinte para trocá-lo por outro de cor preta. Na ocasião, foi autorizada a permuta. Entretanto, o gerente não informou ao proprietário que seria cobrado um adicional por isso. No contrato final Sawyer se comprometia a pagar cerca de 34 mil dólares, embora estivesse levando para casa um SUV cujo preço se aproximava dos US$ 39 mil. Em 15 de junho, ele foi levado sob custódia pela polícia que, posteriormente, encerrou o caso alegando insuficiência de provas. Por Michelle Sá / Fonte: Autoblog

Caso de polícia: Concessionária norte-americana vende carro por preço errado e quem “paga o pato” é o comprador

Foto de: Michelle Sá