Vendas da Fiat na Itália devem cair em 2012, aponta executivo da marca

O mercado automotivo italiano não tem se comportado como gostariam as montadoras. Na última sexta-feira, o CEO da Fiat, Sergio Marchionne, afirmou que 2012 tem chances reais de se apresentar como um ano ruim para a marca em seus país de origem. Dados divulgados pelo Ministério dos Transportes italiano revelaram que as vendas locais recuaram pelo sexto mês consecutivo, implicando numa queda de 26,27%. Por conta da greve dos caminhoneiros – que durou seis semanas -, a previsão de queda nas novas entregas não ultrapassaria 38% neste mês. Agora se sabe que este percentual pode atingir os 40%. Questionado sobre isso, Marchionne se limitou a dizer que o valor final não estava muito longe das estimativas feitas nos últimos dias. Ainda de acordo com o executivo, a greve obrigou a Fiat a decretar uma parada técnica em meados de março. Contudo, não foi a principal causa para o declínio nas vendas. O clima de austeridade também contribuiu negativamente para o comportamento do mercado. Dentre as montadoras, o Grupo Fiat foi o mais prejudicado, com suas vendas caindo 35,6% no ano. Já sua participação no mercado automotivo recuou 26,03%, contra 29,61% em 2010. Por Michelle Sá / Fonte: Autonews Europa / Exame