Lucro das montadoras de veículos no Brasil será investigado pelo Ministério Público

Não é de hoje que mostramos com frequência a grande diferença de preços dos carros vendidos no Brasil e em partes do mundo. A explicação é ainda mais complicada quando o carro é fabricado em nosso país e vendido mais equipado em outro país por quase a metade do preço. Agora, o Ministério Público formalizou um pedido ao Ministério da Fazenda para que seja feita uma investigação sobre uma possível prática de lucro abusivo das montadoras de veículos no Brasil. Tomando como base um dos principais mercados do mundo, os Estados Unidos, um grupo de procuradores do Ministério Público constatou que um carro vendido no Brasil pode custar o dobro do que nos Estados Unidos. Se considerarem alguns modelos que por aqui passam de R$ 80.000 e lá custam US$ 15.000 (R$ 27.000), a situação é ainda mais complicada. O Ministério da Fazenda terá 180 dias para concluir a investigação. Além deste, os procuradores também pediram que o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) faça um estudo da regulação do setor para verificar se está obsoleta. De acordo com os procurados, a antiga lei de 1979, conhecida como Lei Ferrari, estabelece algumas restrições sobre a distribuição de concessões comerciais entre montadoras e distribuidoras de veículos, o que pode estar infringindo a livre concorrência e resultando na composição dos preços. "A Lei Ferrari pode ter tido algum papel, há 30 anos, na época da reestruturação dos mercados de veículos no Brasil, em uma época em que vigia uma economia de controle de preços. Mas, hoje, existem fortes suspeitas de que essa lei é desnecessária e até prejudicial", informa o texto da decisão da 3ª Câmara. Vamos ver se isto realmente vai adiante.