Verdade ou mentira? E-mail diz que JAC J3 saiu da loja sem bateria e cheio de problemas

Nos últimos dias recebemos de leitores, amigos e até familiares um e-mail relatando uma situação muito curiosa sobre o JAC J3. Com uma foto do carro adesivado com os dizeres "JAC J3, não valeu a pena" e "Ouça minha opinião, ligue 9223-9570", o e-mail continha a descrição de problemas na retirada do modelo e o descaso da marca. Afinal, será que é verdade ou mentira? Confira a resolução deste mistério. A íntegra do e-mail que está circulando como "corrente" é a seguinte (os erros de português foram mantidos): Sucesso JAC Compramos o J3 a pouco mais de 1 mês na concessionária de Curitiba. Ele foi entregue sem bateria, sem gasolina, com problema na injeção eletrônica, com a luz do painel que indica (segundo o manual do usuário) problema grave no motor e com o porta-luvas sem fechar corretamente. Dois dias depois o levamos à concessionária para o primeiro conserto. O porta-luvas passou a abrir sozinho. No dia seguinte, a base do espelho retrovisor interno quebrou. Tirando isso, o carro passou a "morrer" sozinho, o ponteiro que indica a quantidade de combustível parou de funcionar e o freio passou a fazer um barulho agudo toda vez que acionado. Fomos de novo à concessionária. Aparentemente nada foi feito, pois os todos os problemas continuaram. Ligamos novamente para marcar novo conserto, o carro foi deixado mais uma vez, mas nada foi consertado. Depois de tudo isso, liguei para os funcionários envolvidos (Rosemeire e Marco) para pedir a troca do carro ou a restituição do dinheiro e eles afirmaram que não tinham poderes e nos pediram mais uma chance. Esta chance foi dada, o funcionário que marcou conosco (Marco) não apareceu; deixamos o carro com o diretor da Jac, mas os problemas persistem. Eles não deram nenhuma ordem de serviço das vezes que deixamos o carro para concertar, por isso, fiz uma declaração com todos os fatos, dias e pessoas com que falei para protocolar na Jac Motors. Quando voltei para pegar o carro do concerto, esta mesmíssima declaração estava amassada em cima da mesa do funcionário Marco. Já deixamos o carro quatro vezes para consertar, já reclamamos, já pedimos, já fizemos de tudo. Eles não estão nem ai para o consumidor depois que este compra o carro! Este é o respeito que a Jac Motors Brasil demonstrou por nós. A solução (ou não) do caso: 1º: Não existe identificação do autor/proprietário e o número do telefone não existe. Nem com o prefixo 41, de Curitiba, nem com qualquer outro do país. Entramos em contato com a assessoria da JAC Motors para tentar apurar esta situação. Segundo a marca, com base na imagem, também tentou ligar no telefone, mas sem sucesso. Outra forma de encontrar o proprietário seria através da placa do carro, mas a mesma não é mostrada. 2º: O carro foi entregue sem bateria. Como é possível movimentar o carro até o ponto de entrega sem bateria? Sem gasolina? Bem, grande parte das concessionárias entregam o carro com combustível mínimo para se chegar até o posto. 3º: A sequência de catástrofes impressiona: problema na injeção eletrônica, luz do painel indicando problema grave no motor, porta-luvas sem fechar corretamente (e depois abria sozinho, tipo Ghost). No dia seguinte, outro mistério: a base do espelho retrovisor quebrou (sozinho ou será que foi na porrada?). Depois, o carro passou a morrer sozinho, indicador de combustível parou de funcionar, freio passou a fazer barulho. Imaginem toda esta "zica" acontecendo de um dia para outro. 4º: Nomes genéricos, deixaram o carro com diretor da JAC sem citar nome. Em resumo, conversando com a assessoria da JAC Motors, todas as informações divulgadas no e-mail não são rastreáveis, o que impossibilita à empresa afirmar que se trata de uma situação falsa. O telefone falso também não ajuda. Em nossa opinião, esta é uma mensagem FALSA. Caso seja verdadeira, o proprietário pode entrar em contato conosco que com certeza abordaremos o caso.