Engenheiro quer popularizar carro elétrico no Brasil

Cansado de esperar por uma solução do governo federal para viabilizar as vendas de veículos elétricos no Brasil, o engenheiro de computação Elifas Gurgel, de Brasília, criou seu próprio carro elétrico. O Gol G4 recebeu, além de um motor elétrico, baterias (de chumbo ou íon/lítio), um inversor para controlar a aceleração, sistemas de gerenciamento, um carregador e a parte eletrônica. Com autonomia de 150 km, pouco menos do que os 170 km do Nissan Leaf, o Gol G4 elétrico de Elifas precisa de oito horas para carregar e tem custo de R$ 0,07 por quilômetro rodado com eletricidade. Segundo o engenheiro, que roda diariamente pelas ruas do Distrito Federal, o automóvel já percorreu 15 mil km e deixou de emitir 2,5 toneladas de CO2. "O que eu fiz foi transformar uma estrutura já existente e adaptar ao funcionamento com motor elétrico. As montadoras já têm toda a escala de produção e a estrutura do carro. Não seriam necessárias muitas alterações na linha de montagem", explica Elifas, que já presidiu a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O kit de conversão custaria entre R$ 13 mil e R$ 15 mil. "Com esse valor, o investimento pode ser recuperado no prazo de dois a cinco anos, já que a pessoa vai deixar de gastar com combustível. Além disso, um carro elétrico precisa de menos manutenção, sem troca de óleo, filtros, velas, bombas e outras partes", explica. O objetivo de Elifas é ter sua própria fábrica de kits de conversão e entregar as primeiras encomendas em até dois anos. O plano é instalar a empresa em Fortaleza, no Ceará, para desfrutar de possíveis parcerias com a Companhia Energética do Estado e com o Banco do Nordeste. O caminho até obter o apoio governamental será longo. Por enquanto, ele só conseguiu a homologação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para carros convertidos com seu kit. A boa notícia é que ao menos 800 pessoas já demonstraram interesse pelo kit de conversão desenvolvido pelo engenheiro. Por Michelle Sá / Fonte: R7 Notícias (por Lucas Bessel) / Foto: François Calil