Chrysler reduz horas-extras por falta de peças

A tragédia japonesa não só paralisou fábricas, portos e ferrovias, como provocou ondas de redução quanto ao consumo de autopeças na indústria automotiva mundial. Dependendo de importações, diversas montadoras tiveram que reduzir a produção de seus veículos graças à ausência de equipamentos essenciais para a finalização de seus produtos. Agora, foi a vez do Grupo Chrysler cancelar o número de horas extras em algumas de suas unidades de montagem na América do Norte. Gerida pela Fiat, a montadora informou que o impacto inicialmente atingirá as fábricas de Toluca (México) e Brampton (Canadá). De acordo com Katie Hepler, porta-voz da marca, não houve interrupções na linha de montagem por causa do desastre japonês. Entretanto, foi preciso tomar algumas precauções em um esforço para conservar as peças de fornecedores diretamente afetados pelo problema.
Chrysler reduz horas-extras por falta de peças
Perto de Toronto, a planta de Brampton responde pela produção do Chrysler 300 e Dodge Charger e Challenger. Já em Toluca, são feitos os modelos Dodge Journey e Fiat 500, recentemente colocado à venda nos EUA. Além da Chrysler, Toyota, GM e Nissan tiveram que se ajustar à crise japonesa. A Toyota, que anteriormente já havia reduzido as horas extraordinárias de trabalho em suas fábricas, informou que uma ou mais de suas unidades fabris em solo norte-americano poderiam sofrer interrupções na produção até o final deste mês. No estado da Louisiana, a planta da GM já havia diminuído o ritmo de produção de caminhonetes, enquanto que a Nissan terminou por ajustar sua programação de produção em fábricas nos Estados Unidos e México. Por: Michelle Sá / Fonte: Autonews

Chrysler reduz horas-extras por falta de peças

Foto de: Thiago Parísio