Análise de Fernando Calmon: Sistema Start/Stop garante boa economia de combustível

Foto: Divulgação Bosch Além da coluna Alta Roda que veicula semanalmente no CARPLACE, Fernando Calmon também fez uma análise específica do sistema Stop-Start, dada a sua importância. Confira: Eficiência energética é a palavra de ordem daqui para frente, sempre que um fabricante iniciar o projeto de um novo modelo. No exterior, atingiu estágio de prioridade máxima com o duplo objetivo de economizar combustível e limitar emissões no escapamento dos veículos. O Brasil já teve, em meados dos anos 1980, o PECO (Programa de Economia de Combustível), idealizado pelo Ministério de Minas e Energia e apoio de Chevrolet, Fiat, Ford e VW à época. Os objetivos foram atingidos, mas durou apenas três anos. No início da década de 1990, o mesmo ministério e a Petrobras criaram o Conpet (Programa Nacional da Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e Gás Natural). O principal desdobramento é o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), lançado em 2008 e ainda em base voluntária. O país poderia se engajar no esforço mundial de eficiência energética se tornasse obrigatório a adesão ao PBEV e reiniciasse ações inteligentes, a exemplo do PECO. Existem, hoje, tecnologias auxiliares que permitem avanços na economia de combustível. O preço não seria baixo, porém eventual estímulo fiscal e ganhos no custo/km rodado compensariam com folga. Dois desses recursos são os sistemas Start/Stop (desliga e liga automaticamente o motor, no para-e-anda do trânsito) e de Recuperação de Energia no Alternador. Acredita-se que até 85% dos veículos novos vendidos na Europa em 2015 possuirão ambos. Os EUA também induzem os fabricantes a diminuir o consumo e essas tecnologias ajudam bastante. A filial brasileira da Bosch acredita que a versão de custo reduzido do Start/Stop (S/S) pode interessar às fábricas e aos motoristas. “Medições reais, no centro de São Paulo, têm indicado redução de consumo de até 15%, em um mesmo ciclo de rodagem, quando comparado ao sistema não acionado”, explica o diretor de engenharia para motores de partida e alternadores, Jair Pasquini. O S/S simplificado inclui sensores de pedal de embreagem e de ponto morto do câmbio, software específico de gerenciamento eletrônico do motor, botão no painel para desligar o sistema, além de motor de partida para 150.000 mil ciclos, ou seja, grande margem de robustez para este uso. A fim de reduzir o ruído ao religar, adotaram-se mola de amortecimento de impacto pinhão-cremalheira e aumento de rotação para abreviar o tempo de partida. Nos dias quentes, desligar o motor a combustão significa limitar a eficiência do ar-condicionado. No entanto, pesquisas de campo apontaram que quase dois terços dos tempos de parada situam-se no máximo em 25 segundos. No verão, este intervalo equivale a uma variação de até 3° Celsius na temperatura do habitáculo, enquanto o motor permanecer desligado. Para melhorar o conforto térmico a bordo o sistema bloqueia a entrada de ar externo e diminui a velocidade do ventilador. Tais expedientes compatibilizam economia de combustível e uso do ar-condicionado. Quanto à Recuperação de Energia o ganho é bem menor, no máximo de 3%. O sistema trabalha administrando o torque do alternador. Durante a aceleração limita o fornecimento de corrente elétrica, aliviando a carga do motor a combustão, o que libera potência e reduz o consumo; em desaceleração (não há injeção de combustível), o alternador trabalha com máxima eficiência, recarregando a bateria do veículo.
Análise de Fernando Calmon: Sistema Start/Stop garante boa economia de combustível
Sobre: Fernando Calmon (fernando@calmon.jor.br) é jornalista especializado desde 1967, engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada no CARPLACE e em uma rede nacional de 70 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site just-auto (Inglaterra).

Análise de Fernando Calmon: Sistema Start/Stop garante boa economia de combustível

Foto de: Fábio Trindade