Montadoras argentinas venderão carros a preço de custo para proteger empregos

Presidente Cristina Kirchner e Nestor Kirchner na fábrica argentina da Citroën As montadoras automotivas argentinas venderão os seus modelos mais básicos a preço de custo, por meio de empréstimos subsidiados pelo governo. A estratégia faz parte de um plano entre governo e montadoras para proteger os empregos deste setor em decorrência da crise financeira que derrubou as vendas automotivas em todo o mundo. Fábricas localizadas na Argentina como as da Renault, General Motors, Peugeot, Ford, Citroën e outras participarão do plano do governo de proteger 150 mil empregos da indústria e evitar que a produção caia de modo ainda mais agressivo em 2009. "Nós concordamos com os fabricantes de que esses carros serão oferecidos sem margem de lucro, e as concessionárias também reduzirão sua margem de lucro", disse o secretário da Indústria, Fernando Fraguio, em uma coletiva de imprensa neste sábado (6). Na Argentina, cada montadora oferecerá dois de seus modelos de entrada para o plano, enquanto o governo irá fornecer três diferentes pacotes de financiamento com taxa de juros muito mais baixas que as do mercado que serão financiados pelo sistema de seguridade social. A produção de veículos da Argentina é estimada em 600 mil a 610 mil unidades este ano, alta de 12% ante a produção do ano passado. Fonte: Reuters/G1

Compare preços: Chevrolet Astra, Chevrolet Vectra, Peugeot 307, Fiat Punto, Fiat Stilo, Fiat Palio, Novo Gol, Novo Voyage, VW Polo, VW Fox, Corsa, Celta, Fiesta, Ford KA, Fiat Palio, Fiat Punto