Primeiras Impressões Mitsubishi Eclipse Cross 2018 - O peso de um nome

– Santa Monica, California

Não tenho ideia do porquê a Mitsubishi ressuscitou o nome Eclipse, especialmente num SUV ou algo do tipo. A marca pode continuar usando essa palavra, mas não acho que isso significa o que eles acham que significa. Sim, eu assisti toda a apresentação do modelo, onde explicaram a teoria, a rima e o suposto motivo (o legado) por trás da nomeação, mas continuo sem entender o motivo. Eu e nem ninguém que nasceu depois de 1990, que foi coincidentemente o ano em que o Eclipse original chegou ao mundo.

2018 Mitsubishi Eclipse Cross: First Drive

A verdade é que o novo Eclipse não tem nada a ver com o carro que lhe emprestou o nome, um cupê com motor turbo que era tão divertido de dirigir quanto simples de manter. Agora, se tornou um SUV cujas novidades vão evocar emoção zero no seu público alvo, que, sem nenhuma surpresa, são os millenials. Assim, a única boa lembrança sobre o nome Eclipse será daqueles dias em que o sol é encoberto e achamos legal ficar olhando para o céu. Suspiro.

O que é?

De volta ao Eclipse Cross, a Mitsubishi está confiante nele para adentrar o insanamente competitivo setor de crossovers. Nos EUA, a marca está fazendo diversas ações de marketing em programas de TV, mídias sociais, influenciadores - e eu aplaudo isso. Numa linha cheia de crossovers sem graça, ao menos a marca está ambiciosa com seu novo produto. 

Pena que o Eclipse Cross não traz nada de novo para a categoria, a não ser uma coisa: ele tem design diferente. Não que isso seja um destaque, pois quem o reconheceria ...